Ilusão do jovem de hoje achar que fará algo errado e nada será descoberto. O mundo moderno envolto por #Redes Sociais virou quase que um "reality show" da vida real. Hoje é fácil obter muita informação de qualquer um fazendo uma busca na internet, ou até, mais fácil ainda, adicionando a pessoa em suas redes sociais. Infelizmente, é comum que indivíduos se adicionem pelo puro prazer de ostentar mais seguidores em suas redes, sem se dar conta do risco que isso pode oferecer.

Uma empresa britânica que auxilia divórcios na internet fez uma pesquisa em 2014 com cerca de 5 mil clientes. Inacreditáveis 20% do total, apontaram a rede social como causa secundária ou principal pelo desgaste da relação e consequente separação.

Publicidade
Publicidade

Os principais motivos: ciúme e traição. Muitas vezes, nem mesmo se comprova a traição, mas o simples fato da desconfiança, seja uma curtida numa foto, um comentário em outra são motivos para o término.

E o caso retratado aqui é um bom exemplo do que deve-se evitar na internet. A garota, com 14 anos, adicionou um homem casado que nem mesmo conhecia. As intenções do rapaz se comprovaram não serem as melhores.

O fato aconteceu no Facebook. Homens aceitarem ou adicionarem garotas mais novas que apresentem fotos sedutoras, ou mesmo que sejam bonitas em suas redes sociais, não deveria ser normal, mas é. O ato é motivado pela simples ilusão de imaginar naquela garota um alvo. Foi o que aconteceu com o homem do comentário maldoso. Ele adicionou uma garota de 14 anos e, em uma das fotos da jovem ele comentou: "#partiu #cadeia".

Publicidade

Os dois não se conheciam

O erro foi grosseiro, pois a esposa logo depois viu o comentário, e comentou "safado" e obviamente foi tirar satisfações com o marmanjo.

Por azar dele, muitas outras pessoas também responderam seu comentário o que o deixou mais em evidência. E muitos, até dizendo que ele era um "pedófilo" por ser um adulto comentando a foto de uma criança, inclusive deixando claro que sabia o que aconteceria se realmente levasse a frente a ideia de assediá-la. #Casamento #Pedofilia