Muitas mulheres não iniciaram a vida sexual por #medo baseado na falta de conhecimento e informação. Para muitas mulheres, o início da atividade sexual é um tema muito delicado e íntimo.

Algumas preferem se guardar até o casamento e outras simplesmente perdem a virgindade com alguém que possa não dar muito valor a ela.

Odette Freundlich, kinesióloga especialista em disfunções da pélvis e sexualidade, explica que muitas mulheres e jovens estão cheias de dúvidas, perguntas e mitos que foram transmitidos pela educação recebida em casa, na escolas ou por suas próprias convicções.

Ela explica que “o medo que algumas mulheres têm de iniciar a vida sexual faz com que elas sofram diversas disfunções sexuais, como, por exemplo, o vaginismo, um problema que faz com que os músculos da vagina se contraiam involuntariamente e impeçam a penetração”.

Publicidade
Publicidade

Veja os dez medos mais comuns:

1 - O maior de todos os medos é a dor. Geralmente alguma amiga diz que é doloroso e a grande maioria acredita.

2 - Outro medo comum é o de arrebentar o hímen. Elas pensam, de forma errada, que o hímen é uma membrana que cobre a vagina por dentro e precisa se ultrapassado.

3 - Medo de sangrar muito e ter uma hemorragia.

4 - Muitas acreditam que irão ter a vagina rasgada.

5 - Medo de ter uma vagina frágil e serem machucadas.

6 - Pânico de quebrar as regras e crenças colocadas por pais ou religião.

7 - Medo de ter vergonha. Este é bem comum.

8 - Vergonha de não sentir prazer com a penetração.

9 - Medo de contrair alguma doença sexualmente transmissível.

10 - Medo que os pais saibam que ela perdeu a virgindade.

Como superar o medo da primeira vez

Caso a mulher se identifique com alguns destes medo, seria importante fazer um aconselhamento profissional.

Publicidade

“O aconselhamento com um profissional desmistifica o medo das pacientes. a função seria tranquilizar e educar as mulheres para saberem mais sobre a anatomia e disfunções sexuais. A primeira vez não tem que ser dolorosa, mas prazerosa“, explica Odette.

“É muito importante que mulheres e garotas jovens, se sofrerem de algum medo ou de disfunção sexual, procurem um especialista. Aconselho a terem informações de fontes séries e seguras para evitar qualquer tipo de medo indesejável“, acrescenta.

Lembrando que o mais importante na primeira vez é que seja feito com vontade, desejo e prazer. O momento tem que ser mágico, não dolorido ou traumático. #virgindade #sexo