A ciência vem demonstrando que o sexo tem outras funções na vida humana além das óbvias (reprodução e prazer). A prática de relações sexuais pode conferir vários benefícios à saúde - física e mental - das pessoas. A falta de #sexo, por sua vez, significa a privação destes benefícios e pode causar problemas à saúde, entre os quais podem ser destacados os seguintes:

1 - Muito mais estresse

Um estudo publicado no periódico científico Biological Psychology concluiu que indivíduos abstinentes respondem a eventos estressantes com picos mais altos de pressão arterial.

2 - Maior irritabilidade

O aumento do estresse (ver acima), combinado à perda de uma válvula de escape para ímpetos e a falta de uma atividade prazerosa, pode levar a um acúmulo de agressividade represada, a qual pode se manifestar na adoção de tiques tais como morder os lábios e roer as unhas.

Publicidade
Publicidade

3 - Limitação do desempenho cognitivo

Pesquisa realizada em 2013 e divulgada pelo respeitado jornal espanhol El País chegou à conclusão de que a restrição das atividades sexuais pode prejudicar o desempenho cognitivo. Isso se deve ao papel do sexo no estímulo do processo de formação de neurônios, a neurogênese, especialmente no hipocampo, região cerebral responsável pela memória de longo prazo.

4 - Disfunção erétil

A prática frequente de relações sexuais reduz o risco de manifestação de algum tipo de disfunção erétil mesmo em idade avançada. Pelo menos, foi a conclusão a que chegou uma pesquisa que estudou a vida sexual de 900 homens entre os cinquenta e os setenta anos de idade e que foi publicada no periódico American Journal of Medicine. Segundo os pesquisadores, o benefício da prática sexual regular para a potência é análogo ao benefício da atividade aeróbica para o condicionamento do corpo.

Publicidade

5 - Depressão

Segundo Francisca Molero, sexóloga do Instituto de Sexologia de Barcelona, indivíduos que gozavam de uma vida sexual ativa e se veem forçados à abstinência correm o risco de sofrer de depressão e outros problemas psicológicos.