Já imaginou como seria enxergar o passado e o futuro através de uma tela parecida com a televisão? Se tivéssemos essa tecnologia, facilmente poderíamos prever eventos futuros e nos antecipar a eles.

Embora esse tipo de aparelho exista apenas em filmes de ficção, um norte-americano graduado em Direito pela prestigiada universidade de Yale (EUA), e membro do District of Columbia Bar - cujo acesso é restrito a advogados registrados no distrito de Columbia -, alega que essa tecnologia já existe.

Segundo Alfred Lambremont Webre, advogado e autor de vários livros sobre viagens no tempo, o Vaticano possui um bizarro aparelho capaz de transmitir imagens do passado e do futuro.

Publicidade
Publicidade

Composto por uma tela onde os eventos são mostrados, a alegada máquina é chamada de chronovisor. As informações são do periódico britânico Express.

O americano ainda destaca que o Vaticano doou à Agência Central de Inteligência (CIA), a tecnologia responsável pelo funcionamento do hipotético instrumento.

Webre argumenta que desde a década de 1960 a CIA conhece as engrenagens desse tipo de aparelho, baseado no “acesso quântico”.

Para ele, apesar do Wikileaks exibir ao público as artimanhas das agências governamentais na espionagem de celulares, televisores etc, os arquivos a respeito do chronovisor permanecem desconhecidos dos hackers, liderados por Julian Assange.

CHRONOVISOR

Conforme o advogado, a emblemática máquina fundamentada na tecnologia quântica, possui limitações.

Por exemplo, não permite que o usuário viaje ao passado ou futuro.

Publicidade

Indivíduos com acesso a ela podem observar esses períodos, sem interagir. Mais ou menos como assistir a um programa de televisão.

A diferença é que as informações obtidas serão usadas para influenciar a sociedade global.

Ele cita o caso do polêmico Donald Trump. De posse do hipotético Chronovisor, Alfred Lambremont Webre acredita que a CIA visualizou a vitória de Trump e se preparou para trabalhar com o controverso líder.

BANIDO DO FACEBOOK

As controversas manifestações do advogado, que nunca apresentou provas para corroborar suas excêntricas teorias, o levaram a ser expulso da rede social e de vários sites, inclusive do Wikipedia.

Porém, de acordo com o Express, Webre, autor do livro Omniverse – temática de viagens no tempo -, acentuou que sua última obra foi encomendada pela Universidade de Oxford, uma das mais conceituadas do Reino Unido.

Com objetivo de afirmar ou desmentir as revelações do advogado sobre o insólito Chronovisor, o periódico contatou a assessoria de imprensa do Vaticano. No entanto, não houve resposta.

Abaixo, veja a história do padre que supostamente descobriu a tal “máquina do tempo”, desenvolvida pelo cientista nazista Wernher von Braun e companhia.

#Bizarro #Curiosidades #Viral