Já pensou se aquele cafezinho do meio da tarde fosse substituído por uma #Cerveja? Ou se, em vez de beber um refrigerante ou suco, você degustasse uma cerveja artesanal durante uma reunião? Já imaginou poder beber cerveja no trabalho? Durante o expediente e em frente ao computador? Em São Paulo, essa é a realidade de uma #empresa. Mas não poderia ser diferente. A empresa é composta por jornalistas que escrevem justamente sobre cerveja. Mas será que a bebida ajuda ou atrapalha no rendimento profissional? Na agência de comunicação Notícia Expressa, os funcionários podem beber a qualquer hora.

Cervejas artesanais, importadas e até cachaças fazem parte do dia a dia da agência de comunicação especializada em assessoria de imprensa, em São Caetano do Sul (SP).

Publicidade
Publicidade

Há 10 anos no mercado, a empresa atende clientes do setor cervejeiro e permite que os funcionários bebam durante o expediente, em qualquer horário.

A proprietária da empresa, Miriam Matos, afirma que o rendimento dos funcionários cresceu após a inserção dessas pequenas liberdades. "Desde que esses hábitos foram acrescentados à rotina da agência, coisas maravilhosas tem acontecido. Os colaboradores estão mais soltos, muito mais criativos e empenhados em traçar estratégias para colocar nossos clientes na mídia. Claro que não existem excessos. Cada um sabe de seus limites, e nunca houve nenhum problema quanto a isso. Tudo é feito com moderação", explica. "Com a crescente chegada de rótulos importados ao país e o nascimento de várias cervejarias artesanais, resolvi me especializar no setor e comprei livros e livros sobre cervejas a fim de entender esse grandioso universo" — lembra Miriam Matos.

Publicidade

Os funcionários rapidamente aderiram a prática e se sentem muito mais a vontade para trabalharem justamente com o produto que conhecem tão bem. Pra quem trabalha em bares ou cervejarias esse não deve ser um tabu tão grande, já que esses lugares acabam aceitando o consumo responsável de seus empregados. Segundo especialistas consultados, a cerveja só combina com organizações pequenas, com hierarquias não tão rígidas e que envolvam criação e a medida deve ser adotada com precaução, em razão dos riscos do álcool para a saúde.

Na verdade, o hábito não é novidade no exterior: na França, é comum beber vinho durante o almoço e, no Vale do Silício, na Califórnia, também é habitual tomar cerveja nos escritórios.

Já sabemos que ninguém mais deve se sentir culpado em degustar, moderadamente e eventualmente, sua cervejinha gelada. Contrariando a concepção de muitos, diversas pesquisas comprovaram que o consumo eventual de cerveja pode ser conveniente para o bom funcionamento do organismo.

Boa parte dos trabalhadores brasileiros, chegam para trabalhar na segunda-feira já imaginando como será o fim do expediente de sexta.

Publicidade

Após o alívio de mais uma semana com a tarefa cumprida, um chopinho com os amigos é sempre bem-vindo. Na próxima segunda, a rotina volta ao normal e somente um café bem reforçado é capaz de dar o ânimo necessário para aguentar tudo outra vez.

O fato é que milhares de trabalhadores fariam de tudo pela chance de unir o útil ao agradável, compensar a rotina estressante do trabalho com uma boa dose de cerveja gelada. Muito provavelmente esse método, criado pela "Notícia Expressa", poderia ajudar outras tantas empresas a extraírem o máximo de cada funcionário. Mas a chance da bebedeira dar errado também existe por diversos fatores e, se você não trabalha para agência da Miriam, continuará esperando a sexta-feira chegar.

E quanto a você? A empresa onde trabalha permite que você beba durante o expediente, ou mesmo na hora do almoço? Você acha que um consumo moderado de cerveja pode ajudar ou atrapalhar suas atividades? #Curiosidades