Cada casal tem suas preferências em matéria de sexo, claro. Alguns também possuem um louvável desejo de variedade e estão prontos para experimentar coisas novas a dois. Ainda assim, convém saber que diferentes posições trazem diferentes possibilidades - inclusive riscos.

Um dos mais terríveis perigos na prática sexual - para os homens, pelo menos - é a fratura peniana, e o risco de que aconteça aumenta dependendo da posição em que o casal estiver.

Apesar da ideia que o nome possa evocar na mente das pessoas, não se trata de nenhum osso quebrando – na verdade, não há osso nenhum no pênis humano. Trata-se do rompimento da túnica albugínea (nome que significa capa branca), um conjunto de fibras que envolvem os corpos cavernosos do órgão sexual masculino.

Publicidade
Publicidade

Mariano Rosselló, urologista espanhol, diz que o barulho do rompimento da estrutura costuma ser parecido com o de um osso quebrando.

A fratura peniana acontece quando o pênis está ereto e causa muita dor, podendo também causar inchaço na região, hematomas (inclusive internos) e deformações. Embora o problema seja raro - acontece com apenas um de cada 100 mil homens -, a posição em que o homem fica por baixo e a mulher por cima aumenta as chances de que a fratura aconteça.

Um estudo que abrangeu três hospitais em Campinas, no interior de São Paulo, determinou que, dos homens que haviam buscado os estabelecimentos de saúde para tratar o problema, que pode causar dor durante o #sexo, impotência e desvio do órgão, quase metade estava por baixo da mulher.

A hipótese aventada pelos pesquisadores para explicar o incremento no risco de fratura peniana em homens que ficam embaixo da mulher durante o sexo é que, quando está por cima, o homem pode parar o ato logo que sente algo estranho.

Publicidade

Quando a mulher é que está por cima – além de estar com seu peso sobre o pênis do parceiro sexual -, ela não pode parar o movimento logo que um problema se apresenta porque não é ela quem sente a dor da fratura.

Os cientistas que conduziram esta pesquisa afirmaram também que a condição é considerada vergonhosa pelos pacientes e isso retarda a busca de ajuda, o que pode consolidar danos enormes ao pênis. Em caso de desconfiança, um diagnóstico médico deve ser buscado o mais rápido possível.