Um homem foi detido na tarde deste último domingo (26), após ser flagrado se masturbando em plena luz do dia, em frente ao playground do Parque Villa-Lobos, em Alto de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. O homem levado à delegacia foi Itamar de Almeida, 28 anos, que se não fosse a chegada polícia acabaria sendo linchado por outros homens no local.

Segundo relatos de testemunhas era por volta 12h00min, quando o homem começou com o ato obsceno. O local estava bem movimentado e havia crianças brincando, mesmo assim o homem colocou o órgão genital para fora do short e começou a se masturbar.

Uma das testemunhas que se dirigiu ao 14º Distrito Policial, a educadora Mirca Bonano, informou que o homem não parou e nem se intimidou mesmo após ser flagrado por 4 pessoas.

Publicidade
Publicidade

De acordo com ela, o suspeito viu que as pessoas o avistaram cometendo o ato, e mesmo assim ele continuou.

Mirca contou ainda, o que mais a deixou preocupada, foi o fato que o banco onde Itamar estava sentado era bem em frente ao playground, onde havia muitas crianças brincando no parque, e outras andando de bicicleta ou com seus cachorros de estimação.

Ele estava olhando em direção ao parque e se masturbando. As pessoas que o flagraram indignadas avisaram aos seguranças do parque que agiram imediatamente. A polícia também foi avisada e também chegou rapidamente, evitando assim o linchamento do acusado.

Um dos soldados da PM, Luís Barros, que efetivou a prisão do suspeito, afirmou que o acusado teve que ser retirado do local sob tutela, para que população não fizesse ‘justiça com as próprias mãos’.

Publicidade

Outra testemunha que também esteve na delegacia para prestar depoimento, foi um pai que estava com sua filha que chegou a chorar, ao presenciar o ato obsceno do acusado no parque.

O delegado plantonista que registrou o caso, informou que infelizmente dificilmente Itamar ficará preso, mesmo sendo pego em flagrante. Pois de acordo com as leis vigentes no país, ela poderá ser enquadrado apenas no artigo 233 do código penal, que se refere a prática de ato obsceno em local público, que tem como pena prevista prisão de 3 meses a 12 meses ou pagamento de multa. Segundo o delegado, para o acusado responder sobre o ato de pedofilia, teriam que existir provas concretas para incriminá-lo. #Crime #Investigação Criminal