A estudante de direito Isadora Santos estava almoçando em uma lanchonete da capital paulista quando foi abordada por um menino chamado Cauan, de apenas sete anos, pedindo comida. Ela realizou o desejo do garoto, deu a ele de comer e a história emocionante viralizou nas redes sociais.

A história

“Oi, tia, tudo bem? Não quero seu dinheiro não, queria um prato de comida, tô com fome, a senhora pode me ajudar?” Foi assim que o pequeno Cauan abordou Isadora. Esse texto faz parte do relato emocionante e emocionado que ela postou em sua conta no Facebook.

A partir daí, seguiu-se um diálogo narrado pela estudante de direito. “O que você quer comer?”, perguntou Isadora.

Publicidade
Publicidade

“Quero carne, tia, faz tempo que não como carne, pode ser?”, respondeu Cauan.

“Pode sim e para beber posso pedir suco?”, questionou a estudante. “Pode ser coca, tia? Amo coca”, pediu Cauan.

“Fui fazer seu prato pensando mil coisas: como deve ser difícil ser uma criança e não ter o que comer quando sente fome. Sentei ao seu lado e começamos um papo gostoso. Em pouco tempo descobri seu nome: Cauan, sete anos de idade, tão novo e já me dando lição de moral, mesmo sem saber”, prosseguiu Isadora.

Na imagem, Cauan está comendo arroz, feijão, carne, linguiça e batata frita e bebendo Coca-Cola com gelo e limão. O menino não queria comer tudo porque estava preocupado com o irmão, que estava em casa com fome. Isadora disse a ele que não precisava e falou que faria uma marmitex para Cauan levar para o irmão.

Publicidade

Aprendizado

A paulistana aprendeu bastante com o episódio e terminou seu texto, que já foi compartilhado por mais de 45 mil pessoas, curtido por mais de 130 mil e comentado por mais de 10 mil, explicitando isso.

“Fiquei pensando como somos ingratos, estou falando por mim, reclamo por coisas tão banais, enquanto existem pessoas que precisam de um prato de comida para ter um dia melhor e se satisfazer”, escreveu Isadora.

“Eu te agradeço, Cauan, pelo sorriso, pelo abraço, e por me ensinar que, por mais clichê que seja, precisamos nos preocupar com o hoje e agradecer sempre, por mais difícil que as coisas estiverem. Você foi um amor e nem sabia que eu estava em um dia difícil. Obrigada por mais uma vez me ensinar a ser mais humana, a perceber as pequenas coisas boas que acontecem. Cauan hoje sou eu que tiro meu chapéu para você”. Bela história.

#solidariedade #emoção #criança com fome