Hoje em dia, com tanta tecnologia espalhada pelo mundo, a febre dos celulares, e com eles a mania de tirar ‘selfies’, se tornou um vício. A prática de tirar fotos de si usando os dispositivos moveis é muito usada, em especial pelos jovens.

O que perece ser uma diversão, pode na verdade ser de grande risco para a saúde das pessoas, isso porque, segundo o que descreveu a psiquiatra Maura Kale, o simples hábito de tirar fotografias de si pode se tornar um #transtorno muito sério, uma condição chamada Transtorno de Autoimagem, que ganhou o apelido de ‘#selficídio’ pelos especialistas.

A compulsão por tirar selfies

O transtorno foi intensificado entre as pessoas depois do surgimento dos famosos smartphones, e apesar de parecer uma piada para as pessoas que não conhecem o problema, na verdade se trata de uma condição muito grave que pode levar o paciente a morte se não for devidamente tratada.

Publicidade
Publicidade

Segundo Kale, o novo nome do transtorno nada mais é do que uma nova maneira de chamar um problema que já existe há muitos anos, ou seja, uma vertente do ‘Transtorno Dismórfico Corporal’. Tal patologia leva a pessoa a nunca estar satisfeita com a sua imagem.

O selficídio é um problema muito comum que já atingiu muitas pessoas. Uma delas foi a jornalista Daiana Garbin, no ano de 2016, que chegou a criar um canal no Youtube para falar sobre seu problema.

Principais características do transtorno

Normalmente, as pessoas que sofrem de selficídio nunca estão satisfeitas com as fotos tiradas de si. Elas criam em suas mentes defeitos, em sua maioria imaginários, que as fazem ficar tirando inúmeras fotografias do seu rosto, uma após a outra, sem conseguir encontrar a perfeita, resultando assim em apenas uma grande perda de tempo.

Publicidade

“Trata-se de uma constante insatisfação e busca pela perfeição. O selficida tira e apaga fotos de si mesmo compulsivamente...”, foi um trecho do que explicou a psiquiatra. Ela ainda completou dizendo que o doente acaba ficando frustrado depois de tudo isso e pode chegar a ficar depressivo.

Quais são as consequências

Como qualquer outro tipo de transtorno comum, o selficídio pode deixar uma pessoa tão deprimida ao ponto que pode danificar a sua vida, isso tudo por causa de fatores desencadeados da depressão. Em alguns casos mais graves, o problema da pessoa não se aceitar pode se agravar tanto que pode levar ao suicídio.

O transtorno é mais comum em jovens que possuem entre 12 a 20 anos e mais frequente em mulheres. Isso porque são os tipos de pessoas que mais vivem em busca da perfeição em relação com sua aparência e de uma certa aceitação social, segundo Kale.

Para tratar o problema, o paciente deve ir a um médico psiquiatra para ser avaliado, depois ele se submete a tipos de tratamentos de psicoterapia, isso faz com que a pessoa passe a pensar de uma forma mais realista sobre si. Aliado ao tratamento, também são prescritos medicamentos que amenizam sintomas recorrentes da dismorfia, como ansiedades e depressão. #Selfie