As mulheres vivem preocupadas com a saúde da sua #região íntima e saber um pouco mais sobre ela nunca é demais. Com certeza, se pegam muitas vezes com um espelho observando essa área do seu corpo só para saber como ela é. São curiosidades comuns que passam nas cabeças não só delas, mas deles também, questões essas que nem sempre têm a ver com sexo.

Não existe uma vagina que seja mais bonita do que a outra ou que tenha mais funções do que a outra, mas, de fato, o que se sabe é que uma pode ser diferente da outra. Elas possuem formas diferentes e apesar de já terem existido alguns estudos sobre o assunto, até hoje ainda nunca existiu uma indicação do modelo de vagina que oferecesse um melhor #Desempenho sexual para a #Mulher.

Publicidade
Publicidade

Segundo a coach em relacionamentos Katia Damasceno, existem três tipos de órgão sexual feminino, que ela deu nomes muito curiosos inspirados em seus formatos. São eles: coração, borboleta e tocha olímpica.

As do tipo coração possuem uma vulva com grandes lábios que, por sua vez, escondem os pequenos lábios e o clitóris.

Já o tipo borboleta possui os lábios pequenos de tamanhos variados, podem ser irregulares, parecidos com asas de borboletas. Muitas vezes são tão grandes que chegam a incomodar a mulher, mas podem ser corrigidos através de cirurgias plásticas, se for preciso.

As do tipo tocha olímpica são as que possuem um clitóris maior, mais exposto do que o normal.

Como cuidar da região intima feminina

Segundo dois especialistas no assunto, os ginecologistas Élvio Floresti e Janete Vettorazzi, quanto menos produtos específicos a mulher usar para higienizar a sua região íntima, melhor será.

Publicidade

Ou seja, basta usar um sabonete neutro – de preferência – junto com água corrente na hora do banho para ajudar a manter o equilíbrio do pH da mucosa da vagina – esse que a protege contra infecções, fungos e bactérias externas.

Outra contraindicação importante apontada pelos especialistas é o uso do absorvente intimo diário. Eles não permitem que o órgão respire, o que pode ocasionar problemas recorrentes na região.

Lavando as calcinhas

Se for lavar a calcinha na hora de tomar banho, tome cuidado ao deixá-la exposta no box na hora de secar, pois isso pode resultar em proliferação de fungos e bactérias que podem depois se alojar na sua região íntima.

Segundo a ginecologista Ana Cristina Paixão, do Instituto Fernandes Figueira, do Rio de Janeiro, as peças íntimas femininas devem ser lavadas com água corrente quente e sabão neutro. Devem ser colocadas para secar no varal e de preferência, expostas ao sol ou passadas com o ferro. Depois devem ser armazenadas em locais frescos e arejados.