Atualmente as crianças já acessam a internet sozinhas, em especial para assistirem seus desenhos animados favoritos como Peppa Pig, Tom e Jerry, Minions, Mickey ou Frozen. Porém, há uma notícia muito triste e preocupante que tem tirado o sono de muitos pais, pois segundo o que tem se notado, existem desenhos falsos que estão sendo publicados com conteúdos impróprios e que estão chegando até as crianças.

À primeira vista, esses desenhos são inofensivos e até mesmo se parecem com os originais, porém, logo depois de clicarem para que o vídeo comece, as cenas começam a ser violentas e ofensivas demais para os pequeninos.

Em um desses desenhos por exemplo, a Peppa Pig está em uma das cenas fumando um cigarro e segurando uma arma.

Publicidade
Publicidade

Em outro, um dentista arranca violentamente os dentes da porquinha enquanto se houve um choro de agonia de uma criança ao fundo. Já em um desenho do Mickey, a Minnie corta a orelha do Mickey com uma faca e o sangue jorra.

Uma colunista do jornal ‘The Outline’, Laura June, contou a sua experiência por meio de uma nota que escreveu dizendo que achou tais desenhos ‘fake’ na internet enquanto procurava algo para a sua filha de 3 anos ver. Depois que ela resolveu escrever sobre o assunto, uma investigação foi aberta pela ‘BBC Tendência’, que acabou desenterrando centenas de vídeos como os que a jornalista encontrou, que são feitos baseados nos episódios originais, mas que não passam de paródias inadequadas para menores.

Segundo a terapeuta infantil da São Paulo, Ligia Mass, esses desenhos falsos são muito prejudiciais para uma criança, que vê neles, personagens fazendo coisas que eles não sabem discernir se são boas ou ruins, mas que julgam ser boas, por estarem sendo feitas por seus personagens favoritos.

Publicidade

Mesmo que exista o ‘YouTube Kids’, que são os vídeos do canal que são para as crianças, os desenhos falsos estão passando de forma despercebida na plataforma. O que não indica que os pais devessem proibir seus filhos de acessarem o canal, mas sim que devem ficar mais em alerta para saberem o que as crianças estão assistindo. Assim também como o tempo de acesso deve ser limitado, segundo o que a Ligia afirmou. #Kids #Entretenimento #Educação