Por muito tempo a beleza da mulher foi padronizada para agradar aos homens, pouco importando-se com o que a mulher realmente achava sobre o seu corpo. O espartilho, a cinta-liga e muitas outras coisas foram criadas com o objetivo de agradar e satisfazer os homens, sem se importar com o desejo das #mulheres. Só que isso tem mudado radicalmente nos últimos anos. A discussão sobre a diversidade da beleza feminina e a quebra de estereótipos seculares mostram que toda mulher pode ser linda do seu jeito, seja ela gorda, baixa ou até peluda.

Publicidade

Depilar o corpo, por exemplo, é algo odiado por muitas mulheres que sentem-se escravas da ditadura da beleza que ainda impõe a depilação feminina, e atualmente algumas mulheres, chamadas de naturalistas, estão se opondo a isso, apesar de ainda se depararem com muitos olhares reprovativos nas ruas..

Publicidade

Diante de tudo isso, a artista plástica, Cécile Dormeau, resolveu falar sobre as mulheres [VIDEO]naturais, sem o photoshop embelezando uma imagem nas redes sociais ou sem aquelas dietas que secam barrigas.

Sua arte trata a beleza feminina com naturalidade e demonstra perceber as várias nuances da beleza diversificada em seus corpos, cabelos e formas que são únicas e tão belas quanto cada mulher que as possuem. Lembrando que não é o cabelo liso e o corpo magro que ditam a moda e as preferências das mulheres. Nas ilustrações, que trazem cores fortes e desenhos simples em primeiro planos, muitas mulheres são retratadas de forma natural e verdadeira. Representando mulheres que são consideradas por muitos como grupos minoritários.

O corpo e a forma de uma mulher pode ser diferente e isso não é problema para essa ilustradora, que conseguiu retratar os tipos de mulheres mais comuns que existem e que não são tão exploradas em trabalhos de arte e desenho como deveriam.

Publicidade

Com imagens desconstruídas da simbologia sobre o gênero feminino, as figuras trazem mulheres independentes e mulheres que deveriam ser tratadas com respeito por todas as outras. Muitas vezes a sociedade esconde que as mulheres são tão diversificadas assim, e esse diálogo sobre representatividade é algo bem recente, tanto na sociedade quanto no mundo da moda.

A negra, a modelo plus size e outras formas de beleza antes nunca explorada, hoje, ganham os holofotes da moda e o respeito de muitas pessoas que entendem que essas são as verdadeiras mulheres encontradas na sociedade. A beleza padronizada vem perdendo espaço diante da realidade da mulher, que é bela cada uma com suas especificidades, mostrando que os estereótipos só existem mesmo para moldar pessoas.

#2017