A prática sexual é responsável por algumas mudanças no organismo das pessoas. Assim sendo, não surpreende que a abstenção sexual (especialmente se ela for prolongada) também tenha sobre o organismo efeitos, alguns bons e outros ruins. Entre esses efeitos podem ser citados os cinco seguintes:

Publicidade

1 - As chances de desenvolver câncer de próstata aumentam

A American Urological Association (Associação Urológica Americana) divulgou dados que indicam que a prática de #sexo frequente diminui em um quinto as chances de um homem desenvolver câncer de próstata.

Publicidade

O motivo é o fato de a ejaculação eliminar substâncias nocivas que, de outra forma, poderiam ter ficado armazenadas na próstata. Assim sendo, parar de fazer sexo pode aumentar o risco de desenvolver câncer no órgão.

2 - A ansiedade tende a aumentar

Segundo estudo conduzido por cientistas da Escócia, a ansiedade das pessoas tende a aumentar quando ficam por longos períodos de tempo sem fazer sexo. Isso acontece porque o sexo é responsável pela liberação de tensão que poderia se acumular e pela liberação de substâncias que promovem o relaxamento e ajudam a lidar com o estresse, como, por exemplo, a ocitocina.

3 - O sistema imunológico pode ficar menos eficiente

Pesquisa conduzida por cientistas da Wilkes-Barre University, instituição de ensino superior localizada no estado americano da Pensilvânia, estabeleceu uma relação entre frequência de prática sexual e funcionamento do sistema imunológico.

Publicidade

Segundo os pesquisadores envolvidos na pesquisa, pessoas que fazem sexo pelo menos duas vezes por semana têm uma quantidade cerca de um terço maior de imunoglobulina tipo A do que os indivíduos com uma frequência menor. Essa imunoglobulina ajuda a proteger as mucosas da invasão de agentes infecciosos como bactérias e vírus, colaborando para prevenir, entre outros males, gripes.

4 - O risco de infecção do trato urinário diminui

Durante as relações sexuais, bactérias presentes no pênis do parceiro ou na própria vagina da mulher podem ser jogadas para a uretra dela. Esse tipo de acontecimento, bastante comum, pode dar origem a infecções no trato urinário. Assim sendo, a abstenção sexual diminui as chances de surgimento esse tipo de infecção.

5 – Chances de disfunção erétil aumentam

O periódico médico americano American Journal of Medicine publicou um artigo que afirma que a disfunção erétil é mais comum entre os homens com baixa frequência sexual.

6 - O humor da mulher piora

Segundo a publicação científica Archives of Sexual Behavior, as mulheres tendem a ficar mais deprimidas depois de muito tempos sem praticar o ato sexo. O motivo é a privação de substâncias como ocitocina, serotonina e melatonina, que podem ser encontradas no sêmen do homem e ajudam a melhorar o humor. Há também sustâncias liberadas durante o gozo que promovem o bem-estar e a sensação de satisfação.