Não, não é ilusão de ótica. E não, você não está bêbado. E não mais uma vez... Você não está em uma realidade paralela. Por fim, não se tratam de montagens no photoshop as cenas que você pode ver abaixo.

As imagens foram captadas dentro de metrôs de vários cantos do mundo. Alguém fez essa compilação, garimpada provavelmente em perfis das redes sociais.

Tem gente que cruza as pernas desafiando as leis da física. Outros se seguram como podem para não caírem e há os que usam indumentárias, digamos, nada usuais para o dia a dia.

É perfeitamente compreensível que passageiros que se deparam com imagens improváveis façam questão de registrar e compartilhar com os amigos como o mundo é estranho.

Publicidade
Publicidade

É provável que nas grandes cidades, em transportes coletivos de massa, como metrôs e até ônibus, a gente cruze com todo o tipo de gente. Indo ou voltando do trabalho ou da escola, mais cedo ou mais tarde vocês vai encontrar um tipo estranho. Dos mais excêntricos, até os mais assustadores; dos fantasiados com as roupas mais malucas até os que se posicionam nos vagões de forma muito esquisita....

Eles estão em todas as parte e precisam de deslocar como qualquer outra pessoa. E sempre existiram aqueles que fogem aos padrões no mundo. O que acontece é que antigamente não havia um celular praticamente por habitante no planeta a registrar cada tipão maluco que aparece.

Independentemente das características esdrúxulas vale lembrar as diversidades de estilos e maneiras de se comportar compete à vida de cada um.

Publicidade

A todos compete praticar o respeito às diferenças e coibir qualquer tipo de intolerância.

Há a famosa frase que diz “de perto ninguém é normal”. E também há quem goste de dizer que são as pessoas mais “certinhas” e encaixadas no padrão social considerado “aceitável” que podem gerar as atitudes mais problemáticas e danosas à coletividade.

Por isso, se você topar por aí com um esquisitão ou esquisitona e não se conter em fotografar para mostrar aos amigos, cuidado ao agir. Não constranja, não ofenda, não humilhe. Afinal, tudo é uma questão de ponto de vista. Para o “diferentão” que está do seu lado, esquisito é ser certinho e previsível como a maioria.

O mundo é divertido por isso. Ninguém precisa ser igual a ninguém e todo mundo é livre para se expressar como quiser, desde que não invada o espaço do outro. Viva as diferenças !

E você? Qual foi a última vez que se impressionou com alguém no metrô ou no ônibus?

#Curiosidade #Curiosidades