Bem dizem que na vida as únicas coisas inevitáveis são os impostos e a morte - e, convenhamos que, quanto aos impostos, algumas pessoas dão um "jeito". Enfim, a #Morte, fim de quem vive, como escreveu o poeta, vem para todos, mas para alguns ela vem de maneira especialmente cruel. Entre as piores mortes, podem ser citadas as das pessoas listadas a seguir:

1 - Sean Doyle

No final de 2002, pouco antes do Natal, Sean Doyle foi espancado e atirado em um bueiro por seu amigo Michael Wright depois que este o acusou de ter paquerado a namorada dele, com quem ambos estavam bebendo. Como se a queda de mais de cinco metros de altura não fosse o bastante, Doyle caiu onde havia uma enorme quantidade de água quente e vapor a cerca de 150 graus Celsius.

Publicidade
Publicidade

O próprio calor impediu o resgate - tudo o que os funcionários da companhia de água puderam fazer foi ouvir o infeliz Doyle gritar de dor. Apenas quatro horas depois do acidente foi possível atuar no local e, então, Doyle já estava morto. A pressão sanguínea dele tinha subido causando uma ataque cardíaco e, à medida que ele cozinhava, sua garganta ia queimando e ele sufocava. Segundo Judy Melinek, legista que fez o exame post-mortem de seu corpo, o caso dele foi o único caso que lhe deu pesadelos - e ela já tinha feito autópsias nos cadáveres vindos do atentado de 11 de setembro, o qual ela chegou a ver enquanto caminhava par o trabalho (às vezes, chegava só uma perna ou um tórax de uma das vítimas). Ela disse que quando a temperatura do corpo foi tirada para a autópsia, ela estava acima de 50 graus Celsius, mais de duas dezenas de graus acima do normal para um corpo vivo.

Publicidade

A pele dele, disse ela, parecia couro quando tocada, a boca era um círculo preto de tecido queimado e a camada mais externa da epiderme estava se desprendendo em várias partes do corpo.

2 - Hiroshi Ouchi

Hiroshi Ouchi, que trabalhava em uma usina de reprocessamento de urânio recebeu uma dose letal de radiação. Seus cromossomos foram destruídos, sua pele começou a formar bolhas e a cair, sua contagem de glóbulos brancos foi praticamente a zero. Várias vezes o coração dele parou, mas os médicos ressuscitaram-no apesar de saberem-no condenado e de seus protestos de que não aguentava mais a dor e que não era uma cobaia. O livro A Slow Death (Uma Morte Lenta) discute se se tratou de uma tentativa de salvar uma vida ou apenas de interesse em estudar os efeitos da radiação no que foi considerado o pior acidente nuclear acontecido no Japão antes do desastre em Fukushima em 2011. Ele morreu pouco menos depois de três meses depois do acidente.

3 - William Wallace

Quem assistiu a Coração Valente, deve ter ouvido de William Wallace (papel de Mel Gibson), mártir da luta escocesa por independência.

Publicidade

Ele foi capturado, levado a Londres, onde foi exibido nu pelas ruas de Westminster, distrito no centro da cidade. Ele foi asfixiado na forca, mas liberado dela antes de morrer, depois foi castrado e esventrado, isto é, executado pela retirada de suas tripas. Enquanto ele observava, seus órgãos iam sendo queimados. Depois ele foi decapitado e esquartejado - sua cabeça foi lambuzada em piche e enfiada em uma estaca na Ponte de Londres.

4 - Catão

Catão, o Moço foi um político romano. Adversário de César durante a guerra civil romana preferiu suicidar-se a render-se ao novo líder supremo de Roma. Ele tentou se esventrar, mas acabou caindo da cama durante o processo e seus gritos de dor alertaram os criados, que chamaram um médico que tratou dele e fez suturas. Catão, porém, arrancou-as e arrancou novamente suas tripas, morrendo pouco depois. #Terror #execução