Nascido Filippo Bruno, e mais tarde, aos 15 anos, chamado Giordano Bruno – nome adotado ao ingressar na Ordem Dominicana -, o padre foi acusado de heresia e queimado vivo pela Inquisição Católica, por divulgar sua percepção cosmológica – considerada à frente de seu tempo.

Em suma, Girodano Bruno, doutor em Teologia, acreditava que o universo era infinito e a vida inteligente abundante. Para ele, as estrelas eram como o Sol, rodeadas de outros planetas com grande possibilidade de abrigar vida.

Embora seja comum esse tipo de observação atualmente, em 1576 não era. Na verdade, considerar a chance de vida alienígena em outros lugares do universo ia contra a fé católica e quem ousasse desfiar o status “quo” era punido com a morte.

Publicidade
Publicidade

E foi isso que aconteceu com o padre herege, em 17 de fevereiro de 1600. Na ocasião, Giordano Bruno foi queimado vivo pela “Santa Inquisição”.

Porém, apesar de haver uma espécie de “Santa Inquisição” no século 21, dessa vez, orquestrada por cientistas ortodoxos, que fazem o possível para calar estudiosos do assunto, cada vez mais a existência extraterrestre é aceita por indivíduos influentes no ambiente acadêmico.

Como exemplo de adeptos da teoria alienígena temos quatro ex-astronautas da #Nasa. Veja quem são eles e suas opiniões sobre o assunto.

1 – EDGAR MITCHELL

Em 1971, durante a missão da Apollo 14, na lua, ele passou cerca de 9 horas andando na superfície do satélite.

Quando se aposentou da NASA e pode falar sobre o assunto, revelou o seguinte: "Os alienígenas vêm nos observando e estão aqui há algum tempo".

Publicidade

Além disso, Mitchell ainda ressaltou que o governo dos Estados Unidos encobre avistamentos de ovnis há décadas, desde o famigerado incidente de Roswell, Novo México, em 1947.

Durante entrevista à emissora NBC, em 1996, o astronauta frisou que as autoridades norte-americanas negaram a verdade no intuito de esconder o assunto dos soviéticos.

“A razão para a negação é que eles não sabiam se [os alienígenas] eram hostis e não queriam que os soviéticos soubessem, então eles planejaram mentir sobre isso e encobri-lo", disse.

Veja abaixo uma entrevista onde Mitchell fala sobre o assunto.

2 - BUZZ ALDRIN

Em abril de 2016, o segundo homem a pisar na lua, na missão Apollo 11, em 1969, durante entrevista ao site estadunidense AOL, disse acreditar na existência de alienígenas.

Ao ser questionado por uma pessoa enquanto promovia seu novo livro (ainda inacabado), Aldrin revelou que a história era semelhante ao seriado Star Trek (Jornada nas Estrelas).

Comentou que a obra gira em torno de uma civilização extraterrestre que forneceu seus conhecimentos aos humanos, há 9 mil anos, para que um dia pudéssemos viajar para onde eles estão localizados no universo.

Publicidade

Questionado se o livro era ficção científica ou sua própria crença, o cientista surpreendeu ao dizer que a obra será “a ficção científica mais realista do passado, do presente e do futuro que você alguma vez lerá”.

A seguir, conheça a declaração do astronauta sobre sua experiência na Apollo

3 – GORDON COOPER

Uma das primeiras pessoas a ir ao espaço, entre 1958 e 1963, por meio do programa Mercury da NASA, primeiro projeto tripulado de exploração espacial da agência, Cooper não tinha dúvidas que extraterrestres existiam.

Em 1951, enquanto voava para a Força Aérea dos EUA, o astronauta disse que viu diversos ovnis voando em altitudes extremamente elevadas.

Em 1985, por exemplo, ele foi às Nações Unidas falar sobre o assunto.

4 – DEKE SLAYTON

Assim como Gordon Cooper, ele também participou do primeiro programa de voo espacial dos Estados Unidos.

Contudo, foi em 1951 que Deke Slayton, ao testar um avião militar sobre Minnesota, observou um aparente objeto voador não identificado.

"Parecia um pires sentado em um ângulo de 45 graus. Eu não tinha nenhuma câmera, caso contrário, eu teria [batido] algumas fotos", disse ele sobre a experiência.

#Curiosidades #Internet