Muitas mulheres desejam intensamente ser mães. Para parte delas, esse sonho surgiu na infância ainda, para outras ele começou apenas na idade adulta. No caso específico da #Maternidade biológica, a idade é, infelizmente, um complicador para a realização do sonho de ter filhos.

Interessantemente, porém, a gravidez, depois que a #Mulher completa trinta anos de idade, que por muito tempo foi considerada como sendo de risco, parece ter sido reabilitada pela ciência. Uma pesquisa da Escola Seck de Medicina da Universidade do Sul da Califórnia concluiu que há vantagens para a mulher na gravidez, depois do trigésimo ano de vida.

Publicidade
Publicidade

“Baseados nos dados [da pesquisa], nós não chegaríamos a recomendar às mulheres que esperem até os trinta e cinco anos para completar a família delas, mas a pesquisa fornece forte evidência de que há uma associação positiva entre idade mais alta à época da última gravidez e o desempenho cognitivo na idade avançada”, resumiram suas conclusões os autores desse estudo.

O trabalho, que foi publicado no periódico científico Journal of the American Geriatrics Society, abrangeu 830 mulheres, que, em média, tinham 60 anos de idade. As participantes receberam testes que incluíram avaliações da memória verbal, da velocidade psicomotora, da capacidade de se concentrar, da percepção visual e da concentração. Os resultados dos testes foram ajustados para levar em conta características das voluntárias como raça e etnia, renda e nível de instrução.

Publicidade

As mulheres que tiveram sua última gravidez depois dos trinta e cinco anos de idade apresentaram memória verbal superior à das outras. E as mulheres que tiveram a primeira gravidez aos vinte e quatro anos de idade ou depois dessa idade apresentaram melhores resultados em tarefas cognitivas que exigiam habilidades cognitivas como raciocínio, atenção e armazenamento e manipulação de informações. Embora cada mulher tenha que decidir por si própria quando é o melhor momento para engravidar, esses resultados podem servir como base para otimismo das mulheres que decidiram esperar para engravidar por terem, por exemplo, priorizado a carreira.