Fazer amor sem vontade é uma atitude que pode estar presente em muitos relacionamentos amorosos, afinal, você pode chegar a sua casa depois de um dia estressante e desejar uma noite longa e tranquila em sua cama, sem ter que satisfazer os desejos íntimos do seu parceiro, porém se o homem demonstrar grande necessidade, muitas mulheres acabam cedendo ao ato, mesmo não estando com intensa vontade.

Satisfazer o desejo alheio requer muito cuidado, pois o amor feito sem vontade pode trazer alguns efeitos negativos, tanto para o corpo quanto para o psicológico. Um estudo realizado pela Universidade Southwestern, localizada no Texas, buscou saber quais seriam os efeitos de praticar o ato sem vontade e o que isso poderia causar na saúde de quem faz amor só para satisfazer a vontade de seu par.

Publicidade
Publicidade

Aproximadamente 64 voluntários participaram do estudo e todos eles compararam a quantidade de vezes que tiveram relações íntimas no último mês e qual seria o nível de excitação apresentado durante o mesmo período.

As respostas adquiridas foram bem variáveis, sendo de nenhuma vez por mês até várias vezes em um só dia. Na segunda etapa do estudo, os estudiosos passaram a observar a quantidade de hormônio cortisol produzidos em momentos estressantes, presente na saliva dos voluntários e, consequentemente, foi possível alcançar provas mostrando com exatidão se os participantes que responderam às perguntas anteriores estavam realmente nervosos.

Os estudiosos contam que altos níveis desse hormônio podem afetar negativamente o sistema imunológico, aumentando as chances de se ter doenças ligadas ao coração e depressão.

Publicidade

O resultado adquirido com a segunda etapa da pesquisa foi que: muitos dos participantes que nutriam relações íntimas sem desejo apresentavam um nível de cortisol maior do que aquelas que só faziam o ato somente quando desejavam. Isso também indicou que as pessoas passavam por cima da sua vontade ou desejo somente para causar alguma melhora na relação ou agradar o parceiro.

O estudo também revelou a verdade sobre uma crença que envolve a falta de desejo, muitos afirmam que a ausência dele oferece um nível maior de estresse. Os voluntários que faziam amor com menor frequência demonstravam um nível de hormônio regular, o que mostrou que isso não afeta o equilíbrio emocional das pessoas. “Fazer amor sem vontade, infelizmente ainda é uma prática muito comum nas relações, principalmente na vida das mulheres, e isso é algo que costuma oferecer prazer somente para um dos parceiros ou até para nenhum, especialmente porque não é nada legal ver que a pessoa não está a fim de fazer amor com a mesma intensidade”. #Relacionamentos #Comportamento