A maioria das pessoas usa a internet, principalmente as redes sociais, para se divertir, ver coisas engraçadas e compartilhar publicações para darem risadas com seus amigos. Por outro lado, existem também as pessoas que utilizam as redes sociais como forma de ofender os outros. Quando a pessoa faz muito isso, ela acaba sendo rotulada como “#Hater”.

Também existem as pessoas que gostam de provocar os outros, com fotos sensuais ou mesmo comentários de duplo sentido. Há pouco tempo existia até em algumas redes sociais, como no #Facebook, o meme “me adota”. Esse meme geralmente era utilizado para demonstrar quando alguém precisava muito de alguma coisa.

Publicidade
Publicidade

Por exemplo, se queria ser rica, publicaria uma foto de alguém famoso e rico, seguido de alguma frase iniciada com “me adota”. Esse meme também poderia significar que alguém estava necessitando de algo do lado sentimental, como carinho, por exemplo.

Foi o caso dessa moça da foto abaixo. Ela tentou entrar na brincadeira, mas acabou recebendo um comentário inesperado.

A moça tirou uma selfie em frente ao espelho e publicou no Facebook com a legenda “Me adota, tou carente (sic)”. A frase terminava com um emoji de rosto triste. Ela, provavelmente, esperava muitas curtidas e comentários de pessoas querendo “adotá-la”.

De fato isso aconteceu, ela recebeu muitas curtidas e mais de uma dezena de comentários, como, por exemplo, o que aparece no #Print que diz “é pra já”. Mas ela acabou sendo humilhada por outro comentário que dizia “qual ração você come?”

O rapaz que fez o comentário comparou a menina com um animal que precisasse de adoção, o que o levou a perguntar que tipo de ração ela comia.

Publicidade

Não se sabe qual foi o resultado final dessa conversa, mas esse comentário, com certeza, não passou despercebido pela moça, nem pelas outras pessoas que viram a foto.

A repercussão demonstra que, mesmo quando o assunto é fazer uma brincadeira, vai existir alguém que vai tentar tirar a graça da brincadeira, se possível tentando ofender ou humilhar a pessoa que a fez. Cabe a pessoa que foi humilhada tomar uma atitude, que pode ser desde apenas ignorar a pessoa até fazer um boletim de ocorrência.

Atualmente, existem delegacias especializadas em crimes feitos pela internet, que conseguem rastrear facilmente pessoas através do IP dos seus computadores ou celulares.

O IP é uma espécie de código que cada computador, celular ou laptop que use algum sistema operacional possui. Esse código é como uma cédula de identidade (RG), ele é exclusivo para cada máquina e não tem como alterar.