Eman Abd El Aty é a egípcia, de 36 anos, que ficou conhecida pelo seu problema de elefantíase. Até o mês de fevereiro de 2017, ela era apontada como a mulher mais gorda do mundo.

Eman pesava cerca de 500 kg e residia em Alexandria, no Egito, local de onde foi retirada para seguir rumo à Índia, a fim de passar por #Cirurgia bariátrica em um hospital em Mumbai.

A mulher passou pela cirurgia no hospital egípcio Saifee, e na semana passada foi divulgado pela instituição médica que ela teria perdido 250 kg.

Porém, a irmã da mulher operada, Shaimaa Selim, contesta os dados do hospital, dizendo que não é verdade que ela teria perdido todo este peso e que o estado de saúde da paciente seria delicado.

Publicidade
Publicidade

Ela acredita ainda que sua irmã pode ter sido vítima de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) durante o período da internação, o hospital Saifee nega a versão dos fatos.

Mulher mais pesada do mundo é foco de controvérsia

E nesta última segunda-feira teria começado a controvérsia, com Shaimaa divulgando na internet, um vídeo dizendo que Eman, não estava bem. Ela relata que sua irmã não estaria conseguindo falar nem estaria se movimentando.

E o motivo maior da discórdia, é que ela afirma que Eman não teria conseguido perder 250 Kg, conforme diz o hospital.

Shaimaa falou à BBC nesta terça-feira (25), e diz que o médico que comandou a cirurgia, Muffazal Lakdawala, não teria feito a pesagem da paciente "antes e depois" da cirurgia, e desafia, o hospital a provar que Eman realmente perdeu todo este peso.

Publicidade

Shaimaa atenta ainda para o estado de saúde de Eman, que ela diz ser frágil, justificando que sua irmã respira usando uma máscara e que não consegue se alimentar pela boca, tendo sido introduzido em seu nariz, um tubo que vai até o estômago.

Contradizendo Shaimaa, o hospital disse através de um porta-voz à BBC, que sua paciente foi pesada nesta segunda-feira novamente e que estaria agora, pesando 172 kg.

A controvérsia causada pela irmã da mulher, levou também o médico Muffazal Lakdawala a se manifestar. Ele usou a rede social Twitter para negar que teria mentido. Em seu post, o médico acusa Shaimaa Selim, de ter cometido um pecado grave ao fazer a acusação e diz que continuará a tratar da paciente e rezar por ela.

A insatisfação da irmã também ficou manifesta com a perspectiva prematura de alta de Eman, por ela estar hospitalizada há tão pouco tempo, alegando que pacientes deste tipo costumam ficar internados por um ou dois anos.

Na foto do site G1, que trouxe a matéria da cirurgia em 21/04, Eman Abd El Aty, que já teria sido a mulher mais gorda do mundo, parece estar bem e posa ao lado do médico, considerado um dos maiores especialistas neste tipo de cirurgia bariátrica no mundo. #obesidade #Curiosidades