O surgimento de um pretenso objeto voador não identificado (ovni/UFO) em Belo Horizonte, Minas Gerais, no dia 12 de março, testemunhado e gravado pelo morador Geraldo Bruzinga, intriga ufólogos brasileiros.

Publicidade

O vídeo, cedido ao usuário João Marcelo (Youtube), pelo pesquisador Marco Leal, membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Ufológicas de Sorocaba (GEPUS), foi analisado por peritos - resultado pode ser lido mais adiante.

Conforme Bruzinga, que tem o hábito de subir no terraço de casa para observar as estrelas na companhia da filha Letícia, 11 anos, por meio de um telescópio amador, foi ela quem o alertou sobre o evento..

Publicidade

Segundo o mineiro, no dia da filmagem ele e Letícia estavam sem o equipamento, quando a jovem observou uma estrela em movimento na direção Norte, na altura das nuvens.

Nesse momento, Geraldo desceu para pegar o instrumento e captar o fenômeno. “Eu falei: Letícia, fica de olho nele [ovni] que eu vou pegar o telescópio. No tempo que eu desci até voltar demorou pelo menos 10 minutos até eu instalar o telescópio”, recordou.

Contudo, enquanto presenciava o episódio sozinha, a jovem avisou que eram dois UFOs em movimento no céu.

Ao chegar no local com o equipamento completo, Bruzinga também pode notar as naves. Entretanto, as estruturas seguiram caminhos opostos.

“Um foi para o lado Oeste, em direção ao pôr do Sol. Não deu para acompanhar por causa da luz solar. O outro parou sobre nós na altura das nuvens, e virou em direção ao Leste, parando a 90 graus de mim na altura. Com o telescópio consegui fazer aquelas fotos e filmagens. Depois, ele foi andando, andando, muito rápido”, salientou.

Durante a entrevista, o mineiro ainda demonstrou como fez para gravar o UFO com o telescópio.

Publicidade

Ele desenvolveu um tipo de “porta-celular” onde acoplou o telefone ao aparelho celeste.

Se você não tem paciência para ouvir a história completa, adiante o filme para 4min47seg.

ANÁLISE PERICIAL

Investigadores do GEPUS enviaram as imagens para Ricardo Varela, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Jamil Vilanova, fotógrafo profissional, e Toni Inajar, perito da Policia Civil do Paraná.

Segundo os ufólogos, ao investigarem o filme e as imagens, os profissionais não encontraram sinais de fraude.

Até o momento, a enigmática estrutura é avaliada como sendo um objeto voador não identificado.

#Brasil #Curiosidades #Internet