Há momentos na vida em que você corre um alto risco de se dar mal e de levar um fora homérico. Na infância isso é muito comum quando se trata de tentar iniciar a vida amorosa.

Ô situação difícil [VIDEO], delicada, embaraçosa, mas...necessária para a molecada de 12, 13 anos! Então, não tem muita saída, tem que arriscar. Mas quando o risco é calculado, melhor para o tombo não ser tão alto.

Pensando assim, um adolescente (ou pré-adolescente, não sabemos ao certo) se encheu de coragem e jogou a linha pra ver se pescava algo. Ele escolheu o aplicativo para celular WhatsApp [VIDEO] para dizer na lata o que não teve coragem de falar pessoalmente a uma gatinha.

Publicidade
Publicidade

E então tascou a pergunta que não queria calar em seu coraçãozinho: “Oi, tava com vergonha de dizer lá no colégio, mas você quer namorar comigo”.

A resposta não foi bem a que ele esperava, mas menos mal que não foi pessoalmente. A coleguinha da escola deu aquela esnobada. Convenhamos, algumas meninas também não são nada fáceis nessa fase difícil de transição entre a infância e a vida adulta.

Ela lançou a resposta mais dura logo de cara, insinuando que o seu “sim” poderia ser pronunciado de acordo com o grau financeiro da família do rapazinho. “Hm, só se você for rico”, escreveu.

Ainda bem que o garoto estava preparado para o pior e teve presença de espírito para devolver a gracinha na mesma moeda. “Seu eu fosse rico tava atrás de coisa melhor”. E ainda deu risada, tirando onda do momento.

Publicidade

Ela deu o fora. Ele teve a réplica e contra atacou. Se teve tréplica, não sabemos. Mas o que sabemos já é suficiente para concluir - brincadeiras à parte -, que atualmente as relações são mais imediatistas e cercadas de interesse.

As redes sociais e os aplicativos de mensagem facilitam ainda mais essas posturas, pois não envolvem o velho “olho no olho”. Diriam os mais otimistas, essas novas ferramentas de comunicação apenas escancaram aquilo que já existia (relações construídas na base do interesse e da conveniência), mas que apenas eram veladas e menos claras.

Seja como for, o coleguinha que levou o fora também aplicou um fora e provavelmente partiu para outra conquista virtual, possivelmente com a melhor resposta ensaiadinha tanto para uma situação favorável quanto para uma situação adversa.

Nossos avós diriam: “que saudades do tempo em que antes de ter coragem de se aproximarem os casaizinhos passavam semanas e até meses apenas se entreolhando de longe”.

Hoje é tudo muito diferente. Tudo instantâneo e rápido. Meninos e meninas não querem ter a sensação de que estão perdendo tempo nem mesmo na hora da conquista. E você? Prefere o jeito antigo ou a fórmula nova para encontrar companhia?

#Curiosidade #Curiosidades