Provavelmente um estado de atenção maior entre os parceiros no período do namoro poderia contornar um grande número de divórcios entre os mesmos posteriormente. Em outras palavras, seria mais coerente dar fim a um namoro que dá indício de que o relacionamento futuro não tem muita chance de ir bem, tudo para evitar sofrimentos desnecessários aos cônjuges, filhos e até o próprio divórcio do casal.

Publicidade

Fique bastante atento para estes 5 sinais

  • Histórico de traições: há uma pergunta nesse tipo de situação que sempre é lembrada, a saber, quem trai uma vez trai sempre? Não existe uma resposta correta para a mesma; todavia, os especialistas falam que existem grandes probabilidades da recorrência da #traição.

O pensamento superficial no assunto é que, principalmente a #Mulher, acredita que é mais especial ou diferente da outra que já foi traída.

Publicidade

Ou ainda de que ela é forte influenciadora do homem a fim de mudar o parceiro. Por outro lado, Dora Tognolli, que é psicanalista, concedeu entrevista ao site "#Comportamento UOL" e disse ser um grande erro quando uma mulher superestima o próprio poder, crendo que será possível “consertar” o comportamento do outro.

Enfim, a representante feminina em questão, passa a correr o risco de também ser alvo de traição.

  • Mentiras constantes: o mentiroso costumeiro pode ser considerado como um traidor em potencial, pois na medida em que mente com facilidade, também é desleal de outros modos, podendo querer esconder a traição com mais e mais mentiras.
  • Egocentrismo: o parceiro egocêntrico é aquele que se foca unicamente nos interesses próprios dele, querendo ser o alvo das atenções de todos, o que pode levar a pessoa a ser um traidor incubado, uma vez que o egocêntrico não dá nenhuma importância aos sentimentos de quem está se relacionando com ele, mas só se preocupa com os seus próprios desejos egoístas.
  • Autoestima baixa: Fernando Fernandes, psiquiatra pertencente ao plantel do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, disse ao site "BuzzFeed Brasil", que o indivíduo que tem sentimentos de menos valia ou baixa autoestima, pode vir a se tornar um traidor e querer conquistar uma outra pessoa para que se sinta emocionalmente capaz, eliminando a sensação de insegurança.
  • Ir "na onda" dos outros: na medida em que a pessoa nota que o parceiro (a) é alguém facilmente influenciável, ela deve ter em mente que outras pessoas, além dela própria, poderão exercer algum tipo de domínio sobre o outro membro do relacionamento.

    Publicidade

    Principalmente quando o influenciável tem os "colegas" muito adeptos das bagunças grupais e pulada de cerca.

Os "bons antecedentes" de uma pessoa, funcionam como provas substanciais de que ela será um parceiro altruísta, falando e agindo corretamente e que evitará se meter em situações que levam à traição, que pode doer tanto quanto uma punhalada pelas costas.