Por vezes as mulheres não têm vontade de fazer #sexo, o que pode fazer com que o casal brigue muito, sobretudo porque certos homens ainda não entendem o que tira o desejo sexual da sua parceira. Tal como informa o site "Delas”, existem razões para que haja uma diferença de apetite sexual entre homem e #Mulher, mas que elas, algumas vezes constrangidas com a situação, não gostam de revelar.

Publicidade

Uma das grandes razões para uma mulher recusar sexo é que essa atividade, em certos momentos da vida, deixa de ser uma prioridade absoluta, ficando muitas vezes para segundo plano. As dores provocadas pelas relações sexuais, sobretudo se elas não forem cuidadosas, também podem ser um grande entrave para sua parceira não querer fazer sexo contigo..

Publicidade

Além dos filhos poderem ser um fator para que a regularidade do sexo diminua consideravelmente, o pós-parto pode ser muito doloroso para as mulheres, pelo que é absolutamente normal elas precisarem de bastante tempo para voltarem a sentir desejo como antigamente, tempo esse que, às vezes, não é completamente entendido pelos homens. No caso de mulheres mais maduras, a entrada na menopausa é um dos motivos mais frequentes para que uma noite, que tinha tudo para dar certo, não corra como planejado para o casal.

Tal como pode acontecer no caso dos homens, e como informa o site “Delas”, certas mulheres não se sentem totalmente à vontade com o seu corpo. Esse problema não acontece somente com as adolescentes e mulheres mais jovens, pois as mais maduras, sobretudo depois de uma gravidez, podem ter esse constrangimento com bastante regularidade.

Finalmente, a medicação tomada por elas pode ser um grande entrave para uma relação sexual, visto que muitos deles têm efeitos secundários, como é o caso da medicação contra a depressão, que tira com bastante regularidade o apetite sexual das pessoas..

Publicidade

É essencial, para uma relação saudável e com bastante sexo, apostar forte na comunicação, tentando ao máximo expor quais são problemas, fazendo com que os dois possam lutar para resolvê-los da forma mais eficaz e natural possível, tornando as atividades sexuais um prazer e não uma obrigação.