Não é de hoje que os fãs de #Harry Potter sabem que a escritora J.K.Rowling curte um foreshadowing - nome que se dá ao ato de adiantar eventos de uma trama de maneira sutil. Ao final deste artigo, serão apresentados alguns exemplos de momentos em que Rowling utilizou este recurso na série Harry Potter.

Mas antes, uma pergunta: qual a relação que existe entre Válter e Petúnia Dursley, tios de Harry Potter, e as lendárias Relíquias da Morte? Você provavelmente responderá que tal relação não existe, já que os Dursley sempre abominaram o mundo mágico e tudo relacionado a ele.

Uma teoria de fãs, porém, destaca o uso de foreshadowing em trechos da série, apontando para a introdução das Relíquias na trama do último livro.

Publicidade
Publicidade

E estes trechos são todos relacionados aos Dursley.

Ao longo dos anos em que Harry esteve em Hogwarts, os Dursley enviaram ao sobrinho alguns presentes bastante curiosos nas festas de Natal, que a princípio serviam, aparentemente, apenas para demonstrar que os tios não se importavam muito com Harry.

Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, os Dursley enviam a Harry uma moeda de 50 pence.

Já em Harry Potter e a Câmara Secreta, os tios de Harry enviaram para o sobrinho um palito de dentes.

Em Harry Potter e o Cálice de Fogo, os Dursley presentearam o sobrinho com um lenço de papel absorvente.

Vamos ver uma imagem das Relíquias da Morte:

A teoria afirma que os presentes dados a Harry pelos tios representam, na verdade, as três relíquias que tornariam seu possuidor o Senhor da Morte. Não que os Dursley soubessem da existência das relíquias; apenas foi utilizado o recurso de foreshadowing, antecipando a existência de tais objetos.

Publicidade

A moeda seria a Pedra da Ressurreição.

O palito de dentes, a Varinha das Varinhas.

O lenço de papel, a Capa da Invisibilidade.

Será que os presentes foram apenas coincidências? Ou será que J.K.Rowling estava nos dando pistas sobre o futuro da trama?

Para terminar, veja abaixo algumas vezes em que Rowling utilizou o recurso de foreshadowing nos #Livros da série Harry Potter: #Curiosidades

  • o dedinho que faltava na pata do rato de estimação de Rony, Perebas, em antecipação ao fato de que Perebas era, na verdade, o animago Pedro Pettigrew.
  • 13 em uma mesa de jantar; uma superstição mencionada pela professora de Adivinhação, Sibila Trelawney, ao se recusar a se sentar em uma mesa onde 12 pessoas comiam juntas no almoço de Natal em Hogwarts. Ela dizia que quando 13 pessoas sentavam-se juntas ao redor de uma mesa, a primeira a se levantar seria a primeira a morrer. Na ocasião, Harry e Rony levantam-se primeiro, porém Sibila não foi, de fato, a décima terceira pessoa a se juntar a mesa, pois Rony tinha Perebas (Pedro) no bolso. Sendo assim, os presentes já eram 13 antes de Sibila sentar-se, e o primeiro a levantar-se foi Dumbledore, que ergueu-se para cumprimentar a recém-chegada Trelawney. Dumbledore foi a primeira pessoa presente a morrer, no sexto livro da série.
  • o medalhão de Slytherin é brevemente mencionado em Harry Potter e a Ordem da Fênix, enquanto os membros da Ordem tentam limpar a casa dos Black. Ele é citado como um medalhão que ninguém conseguiu abrir.
  • Sirius Black é brevemente mencionado em Harry Potter e a Pedra Filosofal. Hagrid pega a moto dele emprestada para levar o bebê Harry à casa dos tios.
  • Esta é uma das melhores! Durante o terceiro ano, Harry inventava vários tipos de baboseiras para seus deveres de Adivinhação; eles foram: correr perigo de queimaduras, o risco de perder algo precioso, e ser apunhalado pelas costas por alguém que considerava um amigo. Todas essas ''profecias'' se concretizaram no ano seguinte, durante cada uma das tarefas do Torneio Tribruxo; Harry se viu exposto ao fogo de um dragão na primeira tarefa, teve Ron tirado dele pelos sereianos na segunda tarefa, e foi traído por Alastor Moody - que na verdade era Bartô Crouch Jr. - na última tarefa.