Estatisticamente, problemas elétricos são responsáveis por mais de 90% dos incêndios. A maioria das ocorrências poderia ser evitada com medidas preventivas simples.

Que a eletricidade não é brincadeira, todo mundo já sabe, e que instalações elétricas com problemas podem pôr em risco o patrimônio e até a vida também não é novidade para ninguém, mas o que todo mundo se pergunta é: o que eu posso fazer para diminuir esses riscos, se não entendo nada disso?

Vamos ver então, em uma série de artigos, como identificar e evitar algumas situações de risco que são muito comuns nos lares brasileiros.

1º problema: conceito e uso incorretos dos disjuntores

Os disjuntores não foram feitos para lhe prejudicar durante o seu banho relaxante e lhe deixar na água fria, nem para deixar todo mundo no escuro no auge da festa.

Publicidade
Publicidade

Eles são para proteger o circuito e o usuário.

Por isso, devem ser corretamente dimensionados para a carga estimada do circuito (consulte um profissional habilitado), daí em um evento de sobrecarga ou aquecimento da instalação ele irá desarmar e proteger a você e ao seu patrimônio.

Advertência: Nunca, em hipótese alguma, deve-se travar as chaves dos disjuntores na posição ligado (há quem chegue a usar até mesmo massa epóxi) ou fazer qualquer intervenção nos circuitos sem antes desarmá-los. Não faça gambiarras. Se tiver dúvida, chame um profissional.

2º problema: erros nas instalações de chuveiros e torneiras elétricas

Esses são, seguramente, os aparelhos que mais consomem energia na sua casa por serem os mais potentes e, por isso, requerem cuidados especiais. Para começar, nunca, de jeito nenhum, ligue esses aparelhos em tomadas.

Publicidade

Não existe tomada doméstica que suporte tal carga. A tomada não vai queimar imediatamente, mas isso vai acontecer em muito curto prazo, com grave risco a quem estiver no banho ou usando a torneira.

Se você faz questão absoluta de usar tomadas, procure por modelos industriais, mas esteja ciente de que elas custam muito mais caro. Caso contrário, utilize sempre conectores de baquelite ou porcelana com capacidade para o aparelho em questão.

Se o chuveiro, por exemplo, trabalhar com corrente de até 30A (ampères), peça um conector equivalente. Se a corrente não estiver descrita no corpo do aparelho, divida o valor da potência (Watts) pela tensão (Volts), por exemplo: 7.500W/220V = 34A.

Se notar qualquer cheiro de queimado ou escurecimento dos cabos, chame imediatamente um eletricista.

No próximo artigo vamos aprender sobre tomadas, plugs e periféricos. #Segurança #Acidente #Saúde