Imagine sair para passear com seu cãozinho sem a coleira, livre, numa tarde ensolarada, passar por uma ponte bonita,rodeada de verde e descobrir chocado que seu animal de estimação foi simplesmente hipnotizado pelo sobrenatural e atraído a pular de uma ponte alta, onde a queda é um vale coberto de rochas, quinze metros abaixo.

A ponte Overtoun na #Escócia, uma estrutura antiga de três arcos, é o lugar mais triste para estar com seu cachorro solto, sem a coleira. Estudos e relatos mostram que desde os anos 50, esta ponte vem atraindo a atenção da mídia internacional devido ao grande número de cães que pularam dela para a morte, sem nenhuma explicação aparente.

Publicidade
Publicidade

Nem mesmo coincidências observadas ajudam a explicar o fenômeno dos suicídios

Apesar do absurdo que seja a existência de uma ponte onde cães se suicidam, são muitos os relatos dos habitantes locais sobre o fenômeno trazendo ainda mais estranhamento, por exemplo, a maioria deles observou que, se os cães não morrem quando pulam na primeira vez, eles sobem e tentam novamente.

Cientistas vêm tentando descobrir, sem muito sucesso, a verdade por trás da "ponte da morte", mas acabam de mãos vazias. Os cães que pulam pelo parapeito da ponte caem a uma altura de 50 pés, ou 15 metros, entre as rochas e a queda d'água abaixo. Os únicos fatores de ligação para este evento inexplicável são que os cães, na sua maioria, pulam do mesmo lado da ponte, com tempo limpo e são de raças de focinhos longos.

A ponte também foi o local de uma tragédia humana

A ciência até hoje não soube explicar porque os cães pulam para a morte quando passam pela ponte e, se somente isto não fosse o bastante, um terrível evento mais recente envolvendo os humanos, só piorou a fama do local.

Publicidade

Em outubro de 1994, Kevin Moy atirou seu filho Eoghan de apenas duas semanas de vida da ponte para a morte porque ele acreditava que seu filho era a encarnação do demônio, e ele o próprio Anticristo.

Após tentar se matar pulando da ponte de onde havia atirado seu filho e ter sido impedido por sua esposa desesperada, Kevin também tentou cortar os pulsos ao chegar em casa. Levado a julgamento pelo assassinato do próprio filho, o escocês de 34 anos, foi internado em um hospital psiquiátrico, depois de tentar explicar porque matou seu filho.

Enquanto sofria de depressão, Moy contou a polícia que acreditava que ele e seu filho eram os responsáveis pela Guerra do Golfo e que eles iriam destruir o mundo espalhando um vírus mortal entre os humanos se não fossem detidos. Ao matar seu filho e a si próprio, Kevin Moy realmente acreditava que estaria salvando o mundo. #Suicídio #ponte do suicídio