Uma das maiores polêmicas que existem no Brasil, sem dúvidas, é a da #gravidez na adolescência ou quando ela ocorre com outras mulheres de um modo indesejado. Segundo algumas entidades, um dos maiores fatores que favorece o aumento desse tipo de risco, são os eventos realizados de maneira desordenada, como acontece em determinados tipos de bailes funk.

Além de poder ficar grávida de um modo indesejado, a jovem se expõe a diversos outros riscos ao frequentar lugares assim, como por exemplo, o de contrair uma doença sexualmente transmissível – DST.

O perigo em meio à diversão

Existem dados que são baseados em diversas denúncias já feitas em relação a esses tipos de eventos, que reúnem um número muito grande de meninas que acabam engravidando em meio ao #Baile funk, evento que tem como característica principal promover o ‘sexo livre’.

Publicidade
Publicidade

Sendo assim, a prática passa a ser como um tipo de elemento extra que deixa a festa mais divertida.

Só no Rio de Janeiro por exemplo, em favelas como a da Tijuca e parte da Zona Norte do estado, já foram encontradas cerca de 30 adolescentes que, segundo as entidades de organizações não-governamentais, teriam ficado grávidas durante esses bailes funk.

As estatísticas assustam

Segundo o que foi descoberto, por conta da pobreza nessas localidades e com a grande frequência dos eventos de bailes sendo realizados, esses tipos de festas estão deixando mais meninas grávidas, mais até do que no Carnaval. Afinal de contas, a festa cultural só ocorre uma vez no ano, enquanto os bailes em favelas, ocorrem o tempo todo.

De acordo com as informações que foram coletadas pela Secretaria de Saúde do Rio, as jovens, que normalmente frequentam os bailes e que engravidam por lá, são menores, com idades entre 12 e 16 anos.

Publicidade

Como tudo acontece

Em vários desses eventos, ocorre a brincadeira chamada ‘dança das cadeiras’, onde as meninas se revezam se sentando em colos de rapazes para fazerem sexo. Ali mesmo, elas praticam o ato de modo desprotegido, ficando, dessa maneira, expostas a todos os tipos de riscos que se possa imaginar.

Embora o Carnaval seja conhecido como a ‘festa da carne’ e da liberdade sexual, é preciso lembrar que várias campanhas e distribuições de preservativos estão sendo realizadas durante o evento. Por conta disso, ao que tudo indica, a incidência de gestações acidentais tem diminuído bastante. Embora ainda não tenha deixado de ser algo preocupante.

Por isso, o mais importante mesmo que é que todas as pessoas estejam cientes que, seja em baile funk ou em qualquer evento, todos devem se proteger para terem relações sexuais. Afinal de contas, o uso de camisinha não previne apenas uma gravidez indesejada, como também contra doenças sexualmente transmissíveis, essas que podem até mesmo levar à morte. Então, cuide-se! #adolescente