Em escolas de todo o Brasil, alunos costumam fazer piada sobre uma suposta alma que assombra vagando pelos banheiros. A personagem fantasmagórica, é chamada de a '#loira do banheiro', e já botou medo em muita gente, podem ter certeza.

No entanto, como essa #lenda surgiu? Há muitas versões e os mais diversos relatos de como teriam aparecido as primeiras histórias deste fantasma. Aqui, vamos focar na mais conhecida, que teve início aqui no Brasil há muitos anos.

Tudo teria começado quando um moça foi obrigada a se casar com um homem pelo qual ela não era apaixonada. A garota, na época com apenas 14 anos de idade, era Maria Augusta de Oliveira, e seu noivo era um homem importante.

Publicidade
Publicidade

O pai de Maria Augusta , o Visconde de Guaratinguetá, acabou concedendo a mão da filha em casamento para esse homem mais velho que ela, mesmo contra a vontade de Maria. Isso gerou uma tristeza grande à filha, que logo viraria uma lenda.

Maria foge de casa e vai morar em Paris, onde morre

A pobre moça odiava tanto esse marido que acabou fugindo de casa. Ela o abandonou, pegou todas as economia que tinha e fugiu do Brasil. Maria procurou refúgio em Paris, na França. Para isso, vendeu suas joias, e longe de tudo, tudo indicava que teria uma vida feliz. Infelizmente, ela acabou não vivendo muito. Uma das possíveis hipóteses para sua morte teria sido uma doença muito popular à época, conhecida como "Raiva", que era transmitida por animais, nos século XVIII e XIX, em que doenças como essa eram muito comuns e dizimavam milhares.

Publicidade

Hoje é raríssimo alguém morrer da doença, cujo nome técnico é 'hidrofobia'.

A família, ao saber que a jovem mulher havia morrido, decidiu pedir o translado de seu corpo. No entanto, no percurso de navio para o Brasil, que demora alguns meses, as joias dela e também os documentos explicando do que a jovem teria falecido, acabaram sumindo, e sua própria família acabou sem saber do que ela realmente morreu.

E como toda essa história dramática e assustadora virou a lenda da 'Loira do Banheiro'?

A questão é que os pais de Maria se arrependeram de tê-la obrigado a casar, e decidiram fazer uma despedida memorável. O corpo da moça ficou exposto em uma redoma de vidro. Isso porque uma enorme estrutura estava sendo erguida em um cemitério de Guaratinguetá. A mãe de Maria, no entanto, mesmo depois da sepultura da filha ficar pronta, não queria enterrar a garota e, a partir daí, situações macabras começaram a acontecer. A mãe passou a ter pesadelos e apenas após sentir muito medo acabou autorizando o enterro.

Publicidade

Como o enterro demorou muito, algumas pessoas acreditaram que o espírito da jovem continuou a pairar na residência, que anos mais tarde virou uma escola. Anos depois, a escola pegou fogo e, em 1916, ela foi reconstruída. Com tanto mistério e assombros reais, a história de terror logo percorreria todo o país. Fazendo que muitos acreditassem que a alma que estava presa àquela escola, e às vezes aparecia para algumas pessoas. Claro que daquela casa que virou escola, a história começou a ser difundida por outros cantos, fazendo que a qualquer sinal de algo diferente, os estudantes pensassem que se tratava do espírito visto na escola onde tudo começou. #Curiosidades