Os cientistas de todo o mundo adoram estudar um tema em especial, a vida sexual de homens e mulheres. Uma das pesquisas foi divulgada no primeiro semestre desse ano. A Pesquisa Nacional de Atitudes Sexuais e Estilos de Vida fez um mapeamento do comportamento íntimo em todo o planeta. A pesquisa acabou sendo publicada pelo UOL e exibiu dados colhidos no ano de 2012. Esses dados exibem como o comportamento na cama de homens americanos e europeus podem ser diferentes quando comparados, por exemplo, aos dos brasileiro.

Mudanças no comportamento sexual ao redor do mundo

A pesquisa tem foco no sexo oral e mostra que, por exemplo, o fato dos britânicos serem bastante praticantes dessa modalidade.

Publicidade
Publicidade

Por lá, 80% dos homens contam que recebem de suas companheiras o carinho íntimo bucal. Esse percentual está relacionado aos homens com idade entre 33 e 40 anos de idade. Já as mulheres britânicas recebem menos sexo oral. A pesquisa reveladora constatou que 75% das britânicas de 33 a 40 anos de idade recebem o carinho íntimo. Issopode estar relacionado a muitos fatores, como machismo e até comportamentos locais. Para muitas mulheres, não é comum ter outras formas de prazer nessa área.

Com parceiros mais velhos, discrepância é ainda maior

Conforme a idade fica mais elevada, a discrepância entre a recepção e o ato de fazer a relação íntima com a boca aumenta ainda mais. Na faixa que envolve as pessoas entre 55 e 64 anos, por exemplo, 35% das mulheres dizem que recebem o carinho dos seus companheiros.

Publicidade

Eles, no entanto, recebem muito mais a ação de suas namoradas e esposas. O percentual para os representantes masculinos chega a 52%.

Brasileiro tem comportamento completamente diferente

No Brasil, as coisas se invertem. 82,4% dos brasileiros confirmam que realiza a ação íntima com a boca. Já as mulheres fazem o ato menos do que eles. Por aqui, 77,6% das mulheres confirmam realizar a prática com quem amam. As taxas foram as mais altas entre todos os núcleos pesquisados.

Mas como explicar tamanha divergência?

Em entrevista ao portal UOL, Carmilta Abdo, psiquiatra, disse que, no Brasil, diferentemente de outras partes do mundo, o fato do homem praticar o ato na mulher é sinal de virilidade. Além disso, ela relembrou que por aqui é muito comum a posição em que o homem e a mulher realizam um no outro o ato ao mesmo tempo, popularmente conhecida como '69'.

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo. #Curiosidades