O momento da perda da virgindade é um marco, um divisor de águas na vida das pessoas. As pessoas virgens costumam ter muitas dúvidas sobre esse momento - o que vai acontecer, o que fazer, como se comportar e especialmente dúvidas sobre quando a perda da #virgindade deve acontecer. As respostas das pessoas a essa última dúvida variam muito de indivíduo para indivíduo, dependendo de vários fatores, como valores morais e religiosos e avaliação dos perigos de uma iniciação sexual precoce.

Interessantemente, uma pesquisa financiada pelo Medical Research Council (Conselho de Pesquisa Médica, órgão britânico de fomento à pesquisa médica) e publicada pela revista Nature Genetics indica que parece haver uma relação entre a época em que a pessoa perde a virgindade e o código genético dessa pessoa - embora, claro, circunstâncias sociais e pessoais também sejam importantíssimas nesse tipo de decisão.

Publicidade
Publicidade

Uma pesquisa publicada pela revista Nature Genetics envolveu voluntários entre os 40 e os 69 anos de idade - cinquenta e nove mil homens e sessenta e seis mil mulheres. Os pesquisadores dizem ter encontrado 38 marcas genéticas capazes de influenciar quando a pessoa deixará de ser virgem.

Os fatores individuais que são afetados por essas marcas (e que, no seu conjunto, resultam na perda da virgindade) podem ser físicos (como, por exemplo, a definição de quando o indivíduo entrará na puberdade, fator que, descobriu-se, tem certo efeito sobre a época da iniciação sexual dos indivíduos) ou psicológicos (quão inclinada essa pessoa é a correr riscos, por exemplo).

O mesmo grupo de pesquisadores tinha feito outros estudos em temas adjacentes, inclusive um que concluiu que a puberdade desencadeada muito cedo na vida de uma pessoa pode expô-la a riscos maiores do que os corridos pela média da população de desenvolver ao longo de sua vida doenças cardíacas, diabetes ou certos tipos de câncer.

Publicidade

George Davey Smith, epidemiologista da Universidade Bristol, acrescentou que a pesquisa mais recente do grupo dele mostrou que, assim como a puberdade precoce pode causar riscos à saúde das pessoas, pode causar também riscos sociais - como, por exemplo, iniciação sexual precoce e baixa escolaridade.

Segundo Ewan Birney, co-diretor do Instituto Europeu de Bioinformática, o estudo publicado em Nature Genetics é um exemplo interessante do uso do conhecimento de Genética para separar causas e efeitos no estudo de um comportamento humano complexo. Um dos objetivos desse tipo de pesquisa é ajudar a decidir quando deve começar a educação sexual das crianças e como deve ser conduzida. #Adolescencia