O órgão genital feminino costuma ganhar diversos apelidos, logicamente, existem várias diferenças na origem de todos. Muitos deles são utilizados por mães, quando suas filhas ainda estão descobrindo o próprio corpo e sentem a necessidade de apelidá-la com nomes mais leves e bonitinhos. Outras já são maneiras escrachadas e um tanto bizarras que o sexo masculino usa para se referir a essa parte do corpo feminino.

Um estudo realizado com aproximadamente 1.000 mulheres mostrou que até mesmo elas sentem dificuldade em se referir ao seu órgão genital usando o nome correto [VIDEO]. Porém, chegou a hora de deixar esse medo para trás, saiba o motivo:

Vagina e vulva: por que não falamos os nomes certos?

Durante a infância, começamos a aprender sobre muitas coisas.

Publicidade
Publicidade

Nossos pais passam a ensinar os nomes das coisas, ouvimos constantemente os nomes de algumas partes do nosso corpo: “cotovelo”, “perna”, “boca” e etc. Agora, quando o assunto envolve a genitália, é muito comum ouvir que a parte íntima masculina se chama “pipi”, e a parte íntima feminina passa a ganhar muitos apelidos “carinhosos” – em vez de tratá-la pelos nomes apropriados.

Um estudo feito pela ONG inglesa de pesquisa de cânceres ginecológicos The Eve Appeal revelou que 65% das mulheres jovens têm receio em falar abertamente as palavras “vagina” e “vulva”, e que 40% admitiram usar os apelidos.

Onde está localizada a vulva e vagina?

Conforme revela a ONG, somente metade das participantes com idade até 35 anos conseguiram identificar quais eram as 5 áreas que são mais afetadas por um câncer ginecológico em uma diagrama: útero, colo do útero (ou cerviz), ovários, vulva e vagina.

Publicidade

Saiba o porquê é importante usar o nome correto

A ONG afirma que chamar de vagina e vulva é um dos primeiros passos para que a #Mulher realize o autoconhecimento indispensável para protegê-la de canceres ginecológicos, além de ser essencial para o amadurecimento sexual das mesmas.

“Queremos que isso acabe rapidamente. Precisamos que as mulheres comecem a chamar as coisas pelos nomes corretos e estejam cientes das funções que esses órgãos têm em seu organismo, sem ficar com medo de conhecer o seu próprio aparelho sexual”, declarou a ONG.

E vocês, acham que realmente tem esse tabu e essa resistência com o nome? Opinem. #Comportamento #Saúde