Mesmo que possam se manifestar de forma exagerada, por exemplo, em avaliações de risco equivocadas (voar é um dos meios mais seguros de se locomover) e em comportamentos prejudiciais ao bem-estar de seus portadores, os medos costumam ter certa base evidente na necessidade de evitar riscos. Medo de avião (por mais seguro que o meio de transporte seja, acidentes infelizmente acontecem), de altura ou de cachorros (animais que podem morder e ferir ou matar), medo de escuro (em que tradicionalmente animais selvagens ou agressores humanos poderiam se esconder para atacar a vítima de surpresa)... Alguns medos, porém, parecem não apenas exagerados, mas simplesmente absurdos para quem não sofre deles.

Publicidade
Publicidade

A #tripofobia é um exemplo.

A tripofobia é o medo de conjuntos de buracos. Algumas das reações que ela pode provocar são náuseas, ansiedade, formigamentos, coceiras, aceleração do ritmo cardíaco e até ataques de pânico. Essa fobia ainda não consta do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, que é produzido pela Associação Psiquiátrica Americana e é uma das "bíblias" da Psiquiatria. Isso, contudo, não impediu Geoff Cole e Arnold Wilkins, cientistas da Universidade de Essex, na Inglaterra, de tentar descobrir a causa da tripofobia. Eles exibiram a tripófobos várias imagens com o objetivo de descobrir quais delas ativavam as reações adversas que caracterizam fobia e procurar pontos em comum entre essas imagens. Infelizmente, a dupla não achou um ponto em comum entre todas as imagens.

Publicidade

Uma nova luz foi lançada sobre o assunto, porém, quando um dos voluntários a quem as imagens foram exibidas disse que fotos do polvo-de-anéis-azuis, um cefalópode de veneno muito poderoso, também desencadeavam nele a reação. Um dos pesquisadores, Cole, mostrou, então, imagens de outros animais venenosos, e o resultado foi o mesmo. A conclusão de Wilkins e Cole é que o que ocorre é que a tripofobia estimula uma parte do cérebro humano a associar os buracos - ou imagens deles - a algum tipo de perigo (animais venenosos, por exemplo). Dependendo da situação, a pessoa pode racionalmente perceber que não há risco. Ainda assim, inconscientemente reage ao perigo que os buracos representam para ela como se esse perigo estivesse presente.

Entre as imagens que podem desencadear reações adversas em pessoas que sofrem de tripofobia, podem ser mencionadas as que mostram buracos em carne, árvores, corais e sementes.

Veja exemplos fotos perturbadoras para quem tem tripofobia: