Ter um filho biológico é o desejo de muitas pessoas. Alguns, infelizmente, têm dificuldade para realizar esse desejo pelo método tradicional. Não é contudo, necessariamente o fim do sonho delas. Felizmente, existem alguns métodos que podem ajudar casais inférteis a realizar o desejo de acrescentar um novo membro à família. A seguir, estão listados e explicados quatro desses métodos de reprodução artificial:

1 - Inseminação artificial

Provavelmente o mais conhecido ou pelo menos aquele cujo nome ocorre com mais facilidade à mente das pessoas. Em vez de confiar na penetração durante o ato sexual para colocar um dos espermatozoides do homem em contato com o óvulo de sua parceira, o esperma do homem é coletado e, em laboratório, os espermatozoides dele são preparados.

Publicidade
Publicidade

Quando a mulher estiver ovulando, eles são injetados no útero dela. Caso a fecundação ocorra, a mulher recebe doses do hormônio progesterona no princípio da gestação, para aumentar as chances de que o embrião formado continue preso ao útero.

2 - Indução de ovulação

Desequilíbrios hormonais da mulher podem levar a ovulação irregular ou mesmo à cessação da ovulação, o que, claro, impede-a de engravidar. Isso pode ser resolvido com o uso de doses de hormônios (ministrados por via oral ou injeção), que estimulam a ovulação. A reação dos ovários aos hormônios é acompanhada através da técnica de ultrassonografia.

3 - Fertilização in vitro (FIV)

A técnica que deu origem aos famosos bebês de proveta. A ovulação é estimulada. Depois, os óvulos são coletados. Depois os espermatozoides são coletados e usados para fertilizar os óvulos.

Publicidade

Se a fecundação ocorrer no laboratório, o embrião resultante é transferido para o útero, onde o desenvolvimento dele prossegue normalmente.

4 - Injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI - sigla de intracytoplasmic sperm injection, injeção intracitoplasmática de espermatozoide, em inglês)

Foi introduzida no começo dos anos 90, em 1992. Nesse caso, o espermatozoide é injetado diretamente no citoplasma do óvulo. É técnica recomendada para superar obstáculos à fertilidade masculina, como, por exemplo, baixa motilidade dos espermatozoides ou baixa produção de espermatozoides. Esses gametas podem ser colhidos no epidídimo, estrutura anexa ao testículo, podem ser retiradas no testículo propriamente dito por aspiração ou, por fim, o testículo pode ter um pequeno pedaço extirpado, para que nele sejam procurados espermatozoides. #gravidez