É verdade que a #Humanidade tem muito a comemorar, como grandes obras científicas e artísticas, sábios e heróis e corações generosos. Infelizmente, também há muitas demonstrações de crueldade ou indiferença pelo sofrimento alheio. Há também circunstâncias de extrema dureza que recaem sobre pessoas inocentes. Enfim, a humanidade é o que o escritor americano Robert Fulghum chamou de 'confraria da alegria e da dor'.

Confira a seguir seis fotos que mostram situações que podem partir o coração de qualquer um:

1 - Infelizmente, em conflitos ao redor do mundo, crianças são recrutadas para lutar. Esse garoto na Síria, com seu rifle Kalashnikov e seu cigarro, provavelmente já se acostumou com a desumanidade da guerra.

Publicidade
Publicidade

Como diz a velha canção do grupo Legião Urbana, "o Senhor da Guerra não gosta de criança". O retrato de outra infância consumida pelo ódio e pela ambição de poder dos adultos.

2 - Passageiros socorreram uma mulher que tentou se matar cortando os pulsos no ônibus. Eles se esforçaram para conter o sangue e evitar que ela morra até que possa ser atendida por profissionais de saúde.

3 - Mãe que perdeu os braços é alimentada pelo filhinho. Mesmo que ninguém mais esteja ou vá estar, ele está lá por ela.

4 - Garoto resgata e abraça sua irmãzinha, que estava debaixo dos escombros de um prédio derrubado por bombardeio na cidade síria de Alepo, em 2014. Alepo era a cidade mais populosa da Síria antes do começo da guerra civil, uma das mais antigas cidades ininterruptamente habitadas do mundo e um dos palcos em que a luta entre as forças do governo do presidente Assad, apoiado pela Rússia, e as forças rebeldes foi mais brutal.

Publicidade

5 - Em 2009, aconteceu uma série de incêndios florestais no estado de Victoria, na Austrália. Os incêndios começaram por volta do dia 7 de fevereiro, um sábado. Por isso, no país dos cangurus e coalas, os incêndios ficaram conhecidos como Incêndios do Sábado Negro. Por falar em coalas, na foto, um bombeiro socorre um dos peludos e fofos animais.

6 - Em 2011, a iraniana Somayeh Mehri e sua filhinha de apenas três anos de idade, Rana, foram atacadas com ácido enquanto dormiam – o conteúdo de uma jarra do produto foi jogado nos rostos delas pelo marido de Somayeh, um traficante de drogas. A criança perdeu a visão em um olho e a mãe perdeu a visão dos dois olhos. Em 2015, em consequência do ataque, Mehri morreu de problemas respiratórios, pois seus pulmões foram atingidos pelo ácido.

#momentos #cruel