Um estudo publicado na revista Family Psychology nos mostra que é melhor estar solteiro do que em um #Relacionamento ruim. Os pesquisadores da Universidade de Buffalo, Nova York, pesquisaram pelo prazo de dois anos algumas pessoas que estavam em relacionamentos sérios. Neste estudo, foram abordadas perguntas com temas sobre os relacionamentos:

  • Apoio;
  • Bondade;
  • Carinho;
  • Comportamento fora do relacionamento;
  • Compromisso;
  • Críticas;
  • Hostilidade de cada parceiro;
  • Satisfação.

Segundo Ashley Barr, principal autora do estudo, durante o período do estudo, 1/3 dos pesquisados sofreram mudanças em seus relacionamentos.

Para surpresa dos autores da pesquisa, a saúde física e mental de pessoas que estavam em relacionamentos longos e de alta qualidade eram muito boas.

Publicidade
Publicidade

Enquanto que os em relacionamentos de baixa qualidade tinham problemas como depressão, alcoolismo e na #Saúde como um todo.

Os resultados do estudo confirmam que é melhor ficar solteiro do que estar em um relacionamento ruim, pois a saúde pode ser prejudicada, como declara a pesquisadora e autora, Ashley Barr.

Outra pesquisa publicada no Psychosomatic Medicine, uma revista científica, identificou que pessoas que não interagem bem com o seu parceiro corriam risco 8,5% maior de sofrer um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC).

Já um estudo publicado no Health Psychology afirma que a mulher que tem um relacionamento feliz podem ter pelo menos 4 vezes mais chances de viver a longo prazo depois de fazer uma cirurgia de ponte de safena.

Os estudos não sabem explicar a causa desse grande impacto na saúde das pessoas que passam por relacionamentos de má qualidade.

Publicidade

Já está provado que a “ocitocina”, que é um hormônio produzido no cérebro, faz melhorar o humor, diminui a ansiedade e aumenta a interação entre o casal. Este hormônio faz diminuir os sentimentos agressivos, deixando a pessoa mais amável, principalmente os homens.

A “ocitocina” é secretada na presença de contato físico, como abraços, massagem, atividade física e outras atividades que proporcionam prazer e relaxamento. Por esse motivo, relaxe, pois quanto menor a tensão, maior será a produção do hormônio “ocitocina” para a corrente sanguínea.

Por esse motivo, o contato físico entre os parceiros é tão importante. Massagem, abraços e carinhos estimulam a produção de “ocitocina”, que é um dos fatores de se sentir pleno e realizado.

Quando amamos, abrimos uma oportunidade para que outro nos ame de volta. Agora, se isso não está funcionando, temos que repensar nossas relações e sentimentos.

Não tenha medo de ficar só. Procure ser a sua melhor companhia. Afinal, o #amor só vale a pena quando nos faz bem.