Cientistas americanos de Boston (Massachusetts) elaboraram uma droga eficaz a ponto de penetrar a pele e bronzeá-la sem ter que expô-la aos raios nocivos do sol. Ela estimula a produção de melanina, responsável pela pigmentação da pele. Porém, a substância está longe de ser usada comercialmente, pois ainda faltam testes pré-clínicos.

Uma equipe de estudos da pesquisa espera que ela possa evitar o envelhecimento e até mesmo o câncer de pele, que resultam do exagero da exposição solar. Até pessoas com pele mais clara vão poder se beneficiar da droga. O principal objetivo desse estudo é criar algo que venha a ser usado de forma a impedir o câncer de pele e retardar o processo de envelhecimento causado pelos raios.

Publicidade
Publicidade

Droga deve ser usada em conjunto com protetor solar

Ela deve ser usada em conjunto com o protetor solar para aumentar significativamente sua proteção contra os raios que prejudicam a pele. Segundo os cientistas, os protetores não têm uma boa eficácia contra formas mais ameaçadoras de câncer de pele. Algumas pessoas, por questões de genética, têm um bronzeado natural, mas quando usam protetor solar, acabam impedindo que sua própria produção de melanina funcione de forma correta, o que impede o corpo de ajudar com a proteção.

Por esse motivo, antes de se expor ao sol, é bom estimular a produção de melanina. Essa nova substância vai possibilitar isso, pois cria antecipadamente um bloqueio contra complicações que protetores não conseguem impedir.

Efeito bronzeador poderoso

David Fisher, professor de Harvard e também um dos envolvidos na pesquisa, diz que eles conseguem ver através de um microscópio a melanina ativando a produção do pigmento sem o uso dos raios ultravioletas nocivos.

Publicidade

"Efeito bronzeador poderoso", acrescenta.

Em 2006, foi publicado um estudo de uma outra droga, a forskolina, que podia induzir ao #Bronzeamento. Logo descobriram, contudo, que ela não conseguia penetrar na pele como deveria. Então, após dez longos anos, encontraram uma outra medida, que diferentemente da substância anterior, penetra muito bem na pele. Ela tem também um resultado diferente do spray, que apenas pinta a pele sem proteger a melanina.

Em seu artigo científico, os cientistas expõem os efeitos do inibidor de SIK, substância que, quando testada em um ratinho de laboratório ruivo, obteve a coloração negra embaixo dos pelos. Mas isso pode ser revertido dentro de uma semana, pois a pele volta a sua coloração natural. Uma das únicas dificuldades no momento é acertar a dose a ser usada. #drogas #verão