O #Celular é o equipamento eletrônico mais adquirido pela população de todos os países e todas as classes sociais. Duas histórias distintas que estão circulando na internet fazem, porém, com que repensamos a maneira como utilizamos esse aparelho. Confira:

A primeira vista

Tudo começa no Texas, nos Estados Unidos, lugar conhecido por histórias bastante curiosas. Dessa vez, um rapaz tem chamado a atenção da imprensa e dos moradores. De acordo com o jornal Austin American-Statemans, Brandon Veznar, morador da cidade de Austin, marcou um encontro com uma mulher pela internet.

Os dois definiram de ir ao cinema, mas, chegando lá, a moça não largava o celular.

Publicidade
Publicidade

Brandon descreveu o momento como "o primeiro encontro do inferno". O valor da indenização pedida por Brandon é de aproximadamente R$ 56,00 e se refere ao preço do ingresso gasto com a moça para assistir "Gardiões da Galáxia" em 3D.

Deportada

A segunda história é um pouco mais complexa e teve consequências piores. Em maio de 2016, no Emirados Árabes, uma mulher teve acesso ao smartphone do esposo e, consequentemente, descobriu uma traição. A mulher, magoada com o marido, foi às autoridades locais para processá-lo.

Mas, a história se inverteu e o marido rebateu o processo, alegando "invasão de privacidade", o que gerou um prejuízo para a esposa. O processo resultou em uma indenização de cerca de R$ 140 mil e a esposa ainda foi deportada para o seu país de origem.

Celular: mal necessário?

É comum nos dias atuais ver em fóruns e grupos da internet relatos de pessoas que perderam empregos ou relacionamentos pelos mais diversos motivos envolvendo o celular.

Publicidade

Seja por troca de mensagens com alguém fora do relacionamento, seja pela uso excessivo ou pelo vazamento de dados, em algum momento o celular tem se tornado manchete.

No Brasil, inclusive, existe uma lei chamada Carolina Dieckman que torna crime qualquer atividade não autorizada em dispositivos eletrônicos de terceiros, e isso inclui celulares. Hoje é comum pessoas processarem as outras porque existe o amparo legal da lei.

Por esse motivo, as empresas de telecomunicação têm se empenhado a reforçar a segurança nos dispositivos. Se você presenciar alguém sofrendo algum tipo de constrangimento relacionado a fotos, comentários e bullying, saiba que isso também se enquadra como crime virtual.

A pena varia entre três meses e um ano de prisão, bem como pagar uma multa à Justiça. Na pior das hipóteses, a vitima pode pedir uma alta indenização ao invasor. #Curiosidade #WhatsApp