Durante muitos anos, o seriado #Chaves tem sido exibido na TV para milhões de pessoas em todo o mundo, fazendo muitos darem gargalhadas devido ao seu humor, que possui uma fórmula aparentemente simples. O seriado mostra o convívio de pessoas totalmente diferentes dentro de uma vila. Com seus trejeitos e manias peculiares, Chaves faz com que quase todos os residentes da vila acabem se desentendendo de um jeito muito engraçado.

Nesse sucesso da TV, todos nós enxergamos situações e pessoas com formas e comportamentos que parecem bem comuns, mostrados de um jeito um tanto caricatural.

Essa série de humor, de origem mexicana, tem como criador o criativo Roberto Gómez Bolaños.

Publicidade
Publicidade

Mas, teorias afirmam que existe algo além do seriado inocente e divertido. Segundo uma creepypasta, um tipo de lenda que circula na internet, Chaves seria uma sutil e genial representação do inferno.

Chaves seria uma representação do inferno

Parece estranho esse tipo de afirmação, ainda mais vindo de um seriado de TV tão querido por milhões de pessoas e que fez tanto sucesso com uma fórmula artística tão simples e amável. Talvez, você ficasse torcendo para que o Seu Madruga conseguisse pagar o aluguel, ou para que o Chaves de alguma forma se desse bem na vida para não sofrer mais como um menino pobre e carente. Segundo a teoria perturbadora, praticamente todos os personagens estão mortos e foram condenados ao #Inferno.

Dependendo da religião e até da simples opinião pessoal de cada telespectador, o inferno, quando a pessoa acredita que realmente existe, pode ser diferente.

Publicidade

E para perceber que Chaves, ou El Chavo del Ocho é, na verdade, uma representação do inferno, o telespectador tem que perceber os sinais deixados pelo ator:

. A vila onde se passa o seriado é um ambiente confuso, como uma espécie de labirinto em que a saída leva a uma rua apertada com um restaurante, uma sala de aula e um parque. Quando os personagens vão para Acapulco, seria apenas uma exceção à regra.

. O tempo é diferente do que você imagina. Na verdade, o tempo não passa. Observe e você perceberá que o senhor Barriga, quando procura o Seu Madruga, cobra sempre os mesmos 14 meses de aluguel. Você nunca se perguntou por que o senhor Barriga não cobra 15 meses, 16 meses, 17 meses de aluguel? Ele não cobra, simplesmente, porque o tempo não passa.

. Outro ponto a se considerar é que ali, como é o inferno, existe a eterna repetição, inclusive, com os mesmos comportamentos e atitudes que condenam residentes da vila a estarem ali presos num ciclo de manias e de violência. Perceba, por exemplo, que a Chiquinha irrita o Quico e, por isso, o Seu Madruga dá um beliscão no menino por achar que ele agrediu a sua filha.

Publicidade

Dona Florinda, então, dá um tapa no Seu Madruga e esse fica muito bravo e tenta revidar, mas acaba acertando o Seu Barriga que acabou de chegar para cobrar os mesmos 14 meses de aluguel. Chaves faz algum comentário irritante e o Seu Madruga dá um cascudo no Chaves. Depois, chega o professor Girafales, que oferece um buquê de rosas para a Dona Florinda e que, por sua vez, sempre pergunta se ele não gostaria de tomar uma xícara de café. E assim, a cada episódio, vemos os mesmos comportamentos e tipos de ocorrências.

. Um aspecto muito assombroso também é que cada personagem é a representação fiel de um pecado capital. O senhor Barriga é a representação da ganância, pois somente uma pessoa com muita ganância cobraria vários meses de aluguel todos os dias. Já a preguiça é representada pelo Seu Madruga, que vive não querendo trabalhar, não cumpre com os afazeres e não paga o aluguel. O pecado da gula é representado por aquele moleque insaciável que adora sanduíche de presunto e que chama o professor Girafales de “professor linguiça”. Existe um personagem que, apesar de ter os melhores brinquedos, sempre quer mais; trata-se de um personagem que representa a inveja, e esse personagem é o Quico. Já a mãe do Quico, que é a dona Florinda, junto com o professor Girafales, são o casal do desejo ardente, da luxúria. A Dona Clotilde representa a vaidade, mas o caso dela é muito #Assustador, pois não é por acaso que ela chama o animal de estimação, aquele que merece o seu carinho, de Satanás. Perceba que o animal de estimação tem o poder pertencente ao Capiroto, que é mudar de forma, às vezes é um gato, às vezes é um cachorro. O personagem que representa a ira é a Chiquinha que, por ser baixinha, tenta encarar os outros personagens de um jeito furioso mas não consegue, então começa a chorar.

Mas nem todos os personagens estariam mortos, segundo o texto da creepypasta que conta essa lenda que circula na internet, que pode ser realmente verdade. O personagem que está vivo é o carteiro Jaiminho, que seria um médium e suas cartas seria psicografias. Ele é o único ali que tem acesso aos dois mundos – o mundo dos vivos e o mundo dos mortos – e por isso sempre tenta evitar a fadiga, pois o esforço para acessar o mundo espiritual seria muito cansativo; e ele vive falando de uma cidade bonita, chamada de Tangamandápio, que na verdade seria o mundo dos vivos.

Há quem levante a possibilidade, ao ler o texto, que o Jaiminho estaria morto também e esteja sofrendo nesse inferno do seriado Chaves.Ou seria um limbo? Um purgatório?

Trata-se de uma teoria muito assustadora sobre um seriado e que muitos poderão assistir com “outros olhos” e prestar mais atenção nos sinais deixados pelo talentoso artista e realizador Roberto Gómez Bolaños.