A psicopatia é um transtorno de personalidade antissocial (TPA). As características apresentadas pelos psicopatas são a falta de empatia, agressão, dentre outras. Eles também são conhecidos por serem uma espécie de homicidas charmosos e extremamente calculistas.

É muito comentado que a #Infância é importante no desenvolvimento da criança. E quando os cuidados nessa faixa etária de idade são deixados de lado pelos pais, a criança poderá sofrer no futuro, com inúmeros problemas e transtornos psicológicos. Foi partindo desse conceito que os cientistas noruegueses decidiram entender mais sobre os psicopatas, analisando como foi a infância deles.

Publicidade
Publicidade

Os pesquisadores visitaram os presidiários com psicopatia diagnosticada e os entrevistaram, ficando frente a frente da verdade. Ao realizar uma sequência de perguntas, eles viram que na infância de todos havia algo em comum: a negligência dos pais e até mesmo a educação autoritária e um relacionamento controlador e abusivo.

Os presidiários apresentados como psicopatas na pesquisa relataram também que sofreram abusos físicos e/ou psicológicos na infância. A orientadora da pesquisa, Dra. Aina Gullhaungen, disse ao New York Post que todos os indivíduos, sem exceção, analisados na pesquisa relataram ter sofrido algum tipo de violência na infância, e que sua tentativa de resolver esse dano era sendo cruel, agindo de maneira negativa a outros.

A Dra. Gullhaungen também ressaltou que os pais de pessoas com transtorno de personalidade antissocial foram ausentes, abusivos, agressivos e obsessivos com eles.

Publicidade

Entretanto, ela também deixou claro que a pesquisa apontou que não são somente esses fatores que contribuem para que o indivíduo apresente o transtorno de personalidade antissocial, havendo outros aspectos a serem analisados.

Analise você mesmo

Para realizar o diagnóstico e chegar ao resultado exato, é preciso que o indivíduo tenha mais de 18 anos e apresentar a persistência de três ou mais destes traços: #psicopata #psicologia

  1. Dificuldade de obedecer a normas e regras, resultando em inúmeras prisões;
  2. Hábito de enganar e mentir, aplicando golpes em busca de lucro e prazer;
  3. Impulsividade ou incapacidade de planejamento;
  4. Irritabilidade e agressividade. Brigas ou agressões frequentes;
  5. Incapaz de manter um comportamento estável no trabalho;
  6. Ausência de arrependimento. Podendo ferir, matar ou roubar outros e não sentir remorso.