Quando o assunto é sexo, geralmente há muitas dúvidas, não é mesmo? Pensando nisso, foi feito o levantamento das principais dúvidas sobre o assunto e especialistas responderam tudo! Vale a pena conferir.

Diferentes tipos de orgasmo

O que poucos sabem é que na mulher o orgasmo pode ocorrer através da manipulação do clitóris ou penetração. Segundo a psicóloga e terapeuta sexual Fátima Protti, a única diferença que há entre eles é o simples fato de obter prazer em diferentes partes do corpo.

O que interfere na intensidade de um orgasmo é a excitação, o desejo, estímulos e se houver envolvimento emocional com o parceiro(a) fica ainda melhor.

Publicidade
Publicidade

Fátima Protti ainda esclarece que é normal algumas mulheres chegarem ao ápice apenas com estímulos no clitóris, já que a área possui maior concentração de ramificação nervosa que o canal vaginal, não é nenhuma anormalidade.

Porém, se isso causar algum tipo de desconforto, a psicóloga orienta a consultar um terapeuta sexual. Uma outra questão levantada no tópico foi referente a ejaculação feminina. Uns acham que é mentira outros acham que sim isso existe, mas qual será a verdade sobre o assunto? O ginecologista Eliano Arnaldo José Pellini afirma que cientificamente não há nada comprovado, mas que em alguns casos ocorre a liberação de um líquido produzido pelas glândulas parauretrais.

Reações fisiológicas

As #Relações sexuais podem causar favarias reações fisiológicas e em algumas pessoas causam a sensação de ouvido tampado.

Publicidade

Alguns fatores como coração acelerado, respiração ofegante e também aumento da circulação sanguínea podem desencadear essa sensação, explica o neurologista Carlos Guerreiro.

Durante o levantamento, algumas pessoas afirmaram ter desmaios após o ato. Nessa questão, o médico orientou a buscar um especialista, pois, embora seja raro, isso pode estar ligado a um quadro epilético e é necessário o acompanhamento junto a um neurologista.

Fantasias eróticas

Questionada sobre fantasias sexuais, a psicanalista e colunista Regina Navarro Lins diz que quase todas as pessoas possuem fantasias. Há pessoas que tem dificuldade em sentir excitação e acabam recorrendo a essas artefatos para não cair na rotina do dia a dia. Alguns buscam essa excitação em filmes, revistas, fotos etc.

Desempenho sexual

O sexólogo Amaury Mendes de Araújo Junior explicou que há uma grande diferença no que se refere a questão de tempo para atingir o orgasmo entre homem e mulher. Enquanto os homens levam de 3 a 4 minutos para ejacular, as mulheres precisam de pelo menos 20 minutos para ficar excitada, sem contar que as mulheres, além da ligação física, precisam também do envolvimento emocional para atingir o ápice sexual.

Publicidade

Amaury ainda ressalta que o importante não é quanto tempo dura a relação sexual, o importante é satisfazer o parceiro(a).

Infecção x sexo oral

Eliano Arnaldo José Pellini orienta a fazer higienização da região intima com sabonete íntimo mesmo após sexo oral. Uma vez que o pH da mulher é ácido e o da saliva é alcalino, após a pratica oral, a região fica propensa a manifestação de germes e bactérias.

Brinquedinhos eróticos

Algumas pessoas acreditam que vibradores podem relaxar a musculatura vaginal e até mesmo levar um choque usando esse brinquedinho, mas o ginecologista Eliano Arnaldo José Pellini e o sexólogo Amaury desconstroem essa ideia ao dizer que vibradores são usados até mesmo em tratamento contra a flacidez vaginal.

Eles explicam que não há risco de levar choque, uma vez que esses produtos geralmente são a pilha e são revestidos por borracha. Pellini ainda acrescenta que quem quer algo diferente durante as relações pode, sim, usar produtos em gel como aqueles que esquentam e esfriam, mas dando preferência sempre aqueles que são feitos à base de água e menos oleoso.

Tamanho é ou não documento?

Voltamos para aquela antiga discussão do “tamanho é documento’? E o diâmetro realmente importa?” De acordo com a ginecologista e sexóloga Jaqueline Brendler, o que acontece é que o pênis com maior circunferência consegue massagear mais a região interna do clitóris e facilita o orgasmo. Deixo com vocês a questão de importar ou não.

Incômodos

A maioria das mulheres sente algum desconforto durante o ato sexual e muitas acreditam que isso se dá devido a posição do útero. A ginecologista Jaqueline Brendler explica que quando a mulher está excitada, a vagina aumenta de diâmetro e de profundidade.

Se a excitação não for mantida, tudo isso de desfaz e o útero volta para a posição de repouso, causando esses desconfortos.

Falta de desejo ou orgasmo

Sofrendo por falta de lubrificação ou falta de apetite sexual? O ginecologista Alberto D'Áuria aponta que essas questões podem estar ligadas problemas psicológicos, genéticos ou até mesmo ao parceiro sexual. Para resolver esta questão, é bom procurar ajuda de um terapeuta e um ginecologista, já que esta inibição pode ter vários motivos.

Um outro ginecologista, Danton Ferreira da Silva, complementa dizendo que alguns casos exigem avaliação hormonal e é necessário até mesmo tratamento adequado. #sexualidade #Relacionamento