Quem vê Shah-e-Cheragh de fora talvez já se impressione com a belíssima construção da mesquita, que também é um monumento funerário, que guarda os túmulos de Mir Muhammad e Amir Ahmad, perseguidos e mortos pelo califado em 853 d.C.

A mesquita, localizada na cidade de Shiraz, no Irã, abriga os túmulos dos filhos do sétimo Iman, que originalmente se encontravam em um mausoléu, até que a rainha Tash Khatun resolveu transferi-los para a mesquita no século XIV.

Construída de maneira ''simples'' no século XII, a mesquita foi reformada por ordens da rainha, que exigiu que todo o interior da construção fosse coberto por milhões de pequenas peças de vidro em diversa cores, para que estas pudessem refletir a luz e iluminar os túmulos.

Publicidade
Publicidade

A reforma de Shah-e-Cheragh incluiu ainda a construção de um espaço para visitação do público, uma escola e um túmulo para a própria rainha Tash Khatun, localizado na parte de fora da construção.

O nome da mesquita também foi mudado após sua reforma no século XIV: Shah-e-Cheragh significa algo como ''Rei da Luz'', nome que fez referência ao aspecto iluminado criado pelas peças de vidro colorido que refletem a luz do lugar para todas as direções.

A construção possui dois minaretes - que são as torres de onde é emitido o chamado aos fiéis para a hora da oração - e uma cúpula, cujo telhado é sustentado por um conjunto de colunas de formato octogonal, conectados por uma parede cravejada de pedras verdes.

Publicidade

A porta da mesquita é repleta de adornos em ouro com um mosaico de vidro no centro. Os visitantes e peregrinos costumam beijar e tocar a porta ao entrar na mesquita.

Por dentro da cúpula, milhares de azulejos detalhados e pedaços de vidro colorido dão ao ambiente uma aura mágica; nas janelas altas e largas, mosaicos de vidro se refletem em espelhos, criando um efeito quase estrelado. As paredes contém versos do Alcorão.

O piso de pedras verdes é adornado com tapetes vermelhos e do teto pendem lustres de cristal.

A mesquita de Shah-e-Cheragh possui, com toda certeza, um dos interiores mais bonitos do #Mundo.

Publicidade

Bem no meio da cúpula, está localuzado o túmulo de Syed Mir Ahmad, inteiramente feito de mármore e recoberto por uma estrutura de prata. Aberturas em vidro revelam a parte interna da lápide. Todo o túmulo também está adornado com escritos do Alcorão, na cor dourada sobre um fundo azul escuro.

O túmulo de Mir Muhammad é parecido com o do irmão, porém um pouco menor, e fica do outro lado da cúpula. #Turismo #Curiosidades