O #Filme #O Exorcista é um fenômeno na história cinematográfica. Ele arrecadou milhões de dólares de bilheteria, e se tornou um clássico do #Terror mundial. Até hoje algumas de suas cenas inspiram novos filmes do gênero, e o longa conquistou milhares de fãs ao redor do mundo.

Como protagonista, a jovem Linda Blair, na época com 14 anos, interpretava Regan McNeil, a menina de 12 anos que sofria uma brutal possessão demoníaca. No longa-metragem, que ficou conhecido por suas fortes cenas, a jovem é acompanhada de perto pela mãe e pelo padre que tenta livrá-la dos espíritos maus.

Linda impressionou o mundo pela forte atuação em cenas realmente assustadora.

Publicidade
Publicidade

A garota tinha que se contorcer inteira para dar vida a possuída Regan, além de se masturbar com um crucifixo.

Tudo isso acompanhado de falas muito pesadas, e cheias de palavrão, que tinham a intenção de contrapor a pureza da menina quando não estava possuída pelo "tinhoso".

Muitas lendas a respeito dos bastidores do filme são espalhadas pelo mundo, e, embora O Exorcista tenha feito um estrondoso sucesso na época de seu lançamento, e que permanece até os dias atuais, Linda Blair não teve uma carreira muito promissora depois desse papel.

Depois de Regan, Linda Blair não emplacou mais nenhum grande sucesso

O Exorcista foi lançado em 1973, e a menina Linda era uma conhecida atriz de comerciais. Depois de concorrer com mais de 600 crianças, ela faturou o papel na produção, e fez o seu maior trabalho no cinema.

Publicidade

Depois disso, no entanto, ela sofreu algumas consequências decorrentes da atuação polêmica: Linda foi ameaçada e perseguida por pessoas, e teve que passar muito tempo sob a escolta de seguranças.

Os frutos colhidos pela impressionante atuação foram bons e ruins. Ela ganhou o Globo de Ouro como melhor atriz coadjuvante, e concorreu ao Oscar na mesma categoria.

No entanto, a partir dai ela perderia uma série de papeis “delicados”, como o de Emmeline em “A Lagoa Azul”, que ficou com a bela Brooke Shields. Em entrevistas, Linda chegou a declarar que nunca quis ser o monstro que se tornou, mas que almejava ser uma princesa Dinsey ou participar de filmes doces como Lassie e Flipper.

Depois de O Exorcista, ela teve um grave envolvimento com drogas e álcool, e chegou a aceitar filme de nudez apenas para tirar algum trocado. Na década de 90 ela passou a se dedicar a causas de proteção animal, e abandonou o uso de drogas.

Além dos prêmios que concorreu por conta de seu papel no clássico do terror, ela concorreu a pior atriz na premiação Framboesa de Ouro devido à participação em outros filmes do gênero, como os falhos “Noite Infernal” (1981), “Correntes do Inferno” (1983) e “Patrulha noturna” (1984).