O Sítio do Pica Pau Amarelo é uma das atrações mais famosas do país. A coleção de livros de um dos grandes autores da literatura brasileira Monteiro Lobato, marco a infância da maioria dos brasileiros.

A boneca Emília se tornou uma febre, e é um ícone nacional. Travessa e falante, ela guia seus amigos Pedrinho e Narizinho por aventuras inimagináveis, desbravando as terras do Sítio da avó das crianças, Dona Benta.

Além de seus personagens, Monteiro ganhou a apreciação dos fãs por incluir alguns personagens típicos do folclore brasileiro, inseridos no mesmo universo do sítio.

É possível encontrar o Saci, a Cuca, e passear por diversas lendas nacionais de maneira descontraída e divertida.

Publicidade
Publicidade

As obras do autor se tornaram uma grande referência de cultura nacional, e é a preferida de muitos estudiosos, além de ser um carro-chefe quando o assunto é literatura brasileira para se apresentar a estrangeiros.

O sucesso das histórias foi tanto, que ainda na década de 70 o Sítio ganhou uma série de televisão. Em 2001, no entanto, o seriado foi repaginado, trazendo novos atores em uma produção moderna.

Apesar do grande sucesso, muita gente não sabe como ficaram os atores que encantaram a todas as crianças nas manhãs globais. Confira como eles estão hoje em dia.

1 - Lara Rodrigues

Lara fez o papel da 'Narizinho' e na época era muito jovem. Hoje, ela apresenta um visual totalmente diferente.

2 - César Cordeiro

O ator interpretou o corajoso 'Pedrinho' que amava se aventurar pelo sítio.

Publicidade

3 - Isabelle Drummond

Isabelle interpretou a boneca falante 'Emília'. Hoje, ela está fazendo sucesso com diversos papeis de destaque em novelas da Rede Globo.

4 - Nicette Bruno

A querida 'Dona Benta' ganhou vida graças ao talento da atriz.

5 - Dhu Moraes

Ela interpretou a 'Tia Nastácia' responsável pelas receitas deliciosas do sítio.

6 - Cândido Damm

Interpretou o intelectual 'Visconde de Sabugosa'.

7 - João Acaibe

Nosso querido 'Tio Barnabé'.

8 - Izak Dahora

Ele interpretou o travesso 'Saci'.

Polêmica sobre racismo envolveu a obra de Monteiro Lobato

Consagrado como um dos nomes mais fortes e mais importantes da literatura nacional, Monteiro Lobato virou fonte de debates e estudos a cerca de sua obra anos depois de seu falecimento.

Publicidade

Em 2010, quando algumas escolas públicas decidiram adotar a sua literatura como base de estudos entre as crianças, alguns questionamentos surgiram sobre o teor racista que pode conter a história.

As acusações de discriminação foram feitas a partir de alguns termos e tratativas recebidas por Tia Anastácia e Saci, os dois personagens negros do universo do Sítio do Pica Pau Amarelo.

Em alguns momentos, tia Anastácia é comparada a um macaco. Os órgãos responsáveis pela acusação, no entanto, garantiram que não havia nenhuma intenção de denegrir a imagem do autor, ou desmerecer a grandiosidade da obra.

Mas eles solicitavam a Editora Globo, que publicou as edições que seriam distribuídas nas escolas, que houvesse um apêndice esclarecendo que no ano em que o livro foi escrito as práticas racistas não eram consideradas criminosas, mas que hoje existe embasamento criminal para que isso não seja perpetrado.

Na ocasião, a editora se recusou a fazer a alteração nas impressões, e por isso o debate se estendeu a respeito da publicação e de sua validade dentro das salas de aulas infantis.

Acusações do mesmo tipo foram atribuídas a Ziraldo, que também tem personagens negros em sua obra infantil. O autor saiu em defesa de Monteiro Lobato e fez uma ilustração em que o criador do Sítio aparece abraçado a uma mulher negra de calcinha e sutiã, e curvas bem delineadas.

O desenho foi feito para estampar uma camiseta de um bloco de carnaval famoso por colocar em pauta sempre um assunto que seja polemica do momento, e foi amplamente criticada. #nostalgia #TV #Sítio do Picapau amarelo