Quase toda história da Pixar tem uma teoria mirabolante, e com o filme “Toy Story” não podia ser diferente. Neste caso, o personagem em questão é o ausente pai de #andy, protagonista da série. Jon Negroni se especializou nas teorias da Pixar e visa desvendar esses mistérios. O autor do The Huffington Post analisou toda história e fez um diagnóstico psicológico de cada personagem e chegou a um resultado assombroso. Veja como é a análise:

O pai nunca apareceu em nenhuma cena da série de filmes, e no início estão se mudando de casa, o que pode indicar uma separação.

Publicidade
Publicidade

Andy pode ter ficado depressivo pelo abandono do pai, por isso a fixação por #woody, que foi um presente dado por seu pai. Essa idolatria vai se desfazendo à medida que o garoto cresce e entende o que aconteceu, pois parece que o pai de Andy e #molly (a irmã) nem se importa com eles.

Quase ninguém percebeu que os pais de Andy são separados? Talvez por esse tema ser inadequado para crianças, por isso a mensagem ficou meio que nas entrelinhas, para quem tivesse idade entender, afinal, cada dia mais existem filhos de pais separadas no mundo.

Várias imagens foram analisadas. No filme inicial da série, a mãe de Andy não usa aliança ou anel de compromisso, e associando com a idade de Andy, foi descartada uma viuvez precoce. Pois, segundo a teoria, mulheres que ficam viúvas muito jovens usam aliança ou o anel de compromisso por um determinado tempo de luto.

Publicidade

Um divórcio também foi descartado, pois isso não impediria de Andy conviver de forma harmoniosa com seu pai, e foi constatada falta de imagens deles em fotos, como aniversário, viagens, passeios, durante a vida. Andy sempre está retratado sozinho.

Outra questão que pode sugerir abandono do pai em alguma fase da vida é o total apego aos brinquedos, como se fosse uma forma de fuga ou um alento de carinho. O cowboy e o astronauta podem ser uma busca do seu estado psicológico de abandono, ele os vê na figura masculina do pai, assim se sente amado e acolhido por um homem, mesmo que sejam de brinquedo.

A mãe de Andy dá ao garoto um filhote no final do filme, pois percebe que o filho precisa de carinho de um ser vivo, por isso adquiriu um cão. Segundo Negroni, também pode ser um tipo de segurança extra para a família, já que o pai não está por perto.

No pensamento dele, a amizade de dois homens dá um sinal de virilidade, demonstrando que o cowboy Woody e o astronauta seriam uma representação dele e do pai em brincadeiras e jogos.