Podemos dizer que a traição é um assunto bastante polêmico, já que o que é traição para um pode não ser para outro. Há culturas diferentes que encaram a traição de maneiras diferentes. Em alguns países é absolutamente normal #homens se relacionarem com muitas mulheres, já no Brasil isso é considerado uma grande traição pela grande maioria das pessoas. Até mesmo dentro de pequenas rodas de amigos é possível encontrar divergências de pensamentos acerca do assunto, já que algumas pessoas podem pensar que sempre deve haver segunda chance, principalmente quando as traições são “leves”, enquanto outras pessoas acreditam que traição é sempre traição, portanto, não há graus leves ou moderados e esse ato não deve ser perdoado, pois trair é uma escolha e não algo que acontece por acidente.

Publicidade
Publicidade

Independente do que as pessoas pensam acerca do assunto, ninguém quer ser traído, seja a traição vinda de um namorado(a), amigo (a), noivo (a), marido ou esposa ou de qualquer outra pessoa que seja próxima e de confiança. Algumas pessoas dizem que todos deveriam vir com uma espécie de manual, onde constaria qual a probabilidade de traição dessa pessoa, assim, muitas decepções poderiam ser evitadas.

Infelizmente, não existe nenhum manual de instruções com estes dados, porém, Rafael Wlodarski, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, mostrou um método que pode indicar quais as chances de um homem trair. Segundo ele e seus ajudantes, o tamanho dos dedos pode ter fortes relações com a probabilidade que um homem tem de trair. A #pesquisa ganhou grande notoriedade, visto que foi publicada em um importante periódico, o Biology Letters.

Publicidade

O pesquisador contou com a ajuda de outros pesquisadores para realizar o estudo, que teve a participação de 600 voluntários que responderam perguntas já estruturadas, ou seja, perguntas prontas, que estavam relacionadas a determinados comportamentos e atitudes. Após responderem o questionário os participantes tiveram os dedos medidos.

Após este procedimento, os pesquisadores analisaram as respostas e as medidas e concluíram que os homens cujo comprimento do dedo anelar era menor responderam as questões com atitudes propensas de pessoas que não traem, enquanto os homens com comprimento maior responderam com atitudes que apontam infidelidade.

Porém, mesmo após analisar o estudo, deve-se ter em mente que há diversos fatores sociais que podem influenciar na fidelidade, logo não se pode tirar este estudo como uma regra.