Já fazem alguns anos que circulam pelas redes sociais inúmeras campanhas pedindo as reprises do quarteto mais querido do Brasil nos anos 1980 e início dos anos 1990. Em uma postagem da página do Facebook "Mussum Sinceris - #Os Trapalhões", a campanha chegou a bater a marca de meio milhão de compartilhamentos e de 100mil curtidas. Por isso é inegável dizer que ‘’Os Trapalhões’’ possuem ainda hoje uma grande massa de fãs que cresceram assistindo o quarteto seja na televisão ou nos cinemas.

Mas devido a problemas de direitos de imagem dos atores já falecidos, a Globo não pode atender o desejo dos fãs e no lugar das tão esperadas reprises criou um novo programa que é uma espécie de remake do original.

Publicidade
Publicidade

Didi e Dedé continuam e são tios da nova turma que são o Didico, Dedeco, Mussa e Zaca, pois nem os nomes dos antigos personagens puderam ser utilizados sem pagar os devidos direitos.

Porém, muitas das piadas feitas pelos Trapalhões originais não podem de maneira alguma estar presentes nessa nova versão de 2017, pois os tempos naturalmente são outros. Do final dos anos 1990 para cá, o mundo foi ficando cada vez mais politicamente correto e piadas com temáticas racistas e homofóbicas (que eram marcas registradas da trupe liderada por #Renato Aragão) não seriam toleradas pela geração atual.

Com este argumento de que o mundo mudou, separamos abaixo cinco cenas dos Trapalhões originais que de maneira alguma poderia passar na televisão nos dias de hoje.

1 - Super-Homem racista

Mussum sempre foi grande alvo de piadas no programa devido a sua raça.

Publicidade

A turma sempre pegava em seu pé, o chamando de ‘’urubu’’, ‘’macaco’’ e outros termos pejorativos impensáveis para os dias atuais. Nessa esquete, o próprio Mussum zomba do Super-Homem interpretado por Renato Aragão, que devolve a zombaria o chamando de ‘’crioulo’’ e ‘’urubu’’.

2 - 'Se disser urubu, vai ter outro pau aqui fora!'

Nesse outro esquete, Mussum é chamado de ‘’galinha de macumba’’ e ‘’boi da cara preta’’ pelo garçom de um restaurante italiano. Depois de uma briga generalizada, os quatro Trapalhões vão parar na cadeia e o Mussum diz a célebre frase: "Se disser urubu, vai ter outro pau aqui fora!"

3 - Agressão homofóbica

Dedé sempre sofreu com os outros integrantes do quarteto duvidando de sua masculinidade no programa. Muitos considerariam esses quadros hoje como homofóbicos. Nessa cena, Didi ouve uma conversa atravessada de Dedé e deduz que o amigo está namorando um rapaz. Didi chama os outros amigos e eles caem em cima de Dedé lhe dando vassouradas. A turma do politicamente correto nunca iria permitir essa cena ir ao ar hoje.

Publicidade

4 - Zacarias e a bandeira do Palmeiras

Mais um quadro que seria considerado extremamente racista nos tempos de hoje e que, por incrível que pareça, não envolve o Mussum. É o Zacarias quem confunde as cores da bandeira do Palmeiras.

5 - Mussum reclama de racismo no banheiro

Nesse quadro do programa, Mussum sempre chega primeiro ao banheiro, mas acaba tomando banho por último por causa da sua cor.

Apesar de parecer piadas grosseiras para os dias de hoje, o mundo daquela época via com naturalidade e todo mundo levava na esportiva, pois o próprio Mussum brincava por ser o mais "escurinho" do quarteto, como o próprio mesmo dizia. #Racismo