Sem sombra de dúvida, o excesso no consumo de bebidas alcoólicas pode trazer grandes problemas ao indivíduo (físicos, familiares, profissionais, etc.) e constituir-se também em um grave problema para a sociedade. Por outro lado, o consumo moderado de produtos alcoólicos agrada a muitos, serve como um lubrificante social, facilitando a interação dos indivíduos, e promove um ânimo elevado e uma disposição generosa (ninguém, observou o escritor americano H. L. Mencken, é um tirano com dois ou três coquetéis dentro de si). Moderação é a chave (e evitar completamente a bebida em ocasiões como quando for dirigir, por claro). A seguir, estão apresentadas algumas situações a que o exagero etílico pode levar:

1 - Esses dois já estão #bêbados, não passarão mais frio para dormir.

Publicidade
Publicidade

Dica: a bebida pode até dar uma sensação de calor, mas ela é ilusória, o consumo do álcool etílico até estimula a perda de calor pelo corpo. Talvez a cordialidade que a bebida estimula vá também a ser responsável pelo dia em que, como previu o profeta Isaías, o cordeiro e o lobo dormirão juntos. Como bem diz a Bíblia (Eclesiastes 4:11), "se dois dormirem juntos, eles se aquentarão; mas um só como se aquentará?".

2 - Alguns goles causam o interessante paradoxo: o sujeito perde quase completamente o senso de direção e de coordenação e ao mesmo tempo se torna um brilhante contorcionista e provavelmente faquir (se ele dorme nessa posição, provavelmente não acordaria se o colocassem em uma cama de pregos).

3 - Bom, ou a melancia estava envenenada ou ele exagerou um pouco na pinga antes de começar a comê-la.

Publicidade

Olhando as garrafas, não é difícil saber qual a opção correta. Tendo em vista a existência de tantos bêbados desordeiros, que tanto fazem pela degradação do patrimônio público e do ambiente das cidades, dá gosto ver como esse arrumou bem seu espaço pessoal.

4 - Outro caso de parceiros repartindo o calor e o espaço para uma soneca. Com um pouco de espírito empreendedor, eles vão poder monopolizar o suprimento de latinhas para reciclar da cidade.

5 - OK, ninguém é um tirano com dois ou três coquetéis dentro de si. Não quer dizer que, com duas ou três garrafas dentro de si, seja um Bruce Lee. Ou um Hulk, aliás. No velho seriado estrelado pelo fisiculturista Lou Ferrigno, o Hulk quando se transformava, arrasava as roupas, mas conseguia preservar suas boas e velhas calças. Esse cara não teve tanta sorte.

6 - Na hora da foto, elas estavam bem alegrinhas mas isso passa. Há não tanto tempo assim, não teria feito muita diferença. Depois que a ressaca passasse, as envolvidas simplesmente concordariam em nunca mais falar no assunto. No mundo das redes sociais, porém, um simples celular pode fazer um grande estrago (não que as pessoas recebendo a foto reclamem). Como bem observou (com base na própria experiência) o cantor Zezé di Camargo em entrevista à Veja, celular em mão de bêbado (ou perto, pode-se acrescentar) é como arma de fogo em mão de macaco.

#Humor