Uma região que sempre preocupa é o bumbum. Muitas fazem muitos exercícios para tentarem melhorar ainda mais essa área, que chama atenção dos rapazes. O que muita gente não sabia é que existe a chamada 'Síndrome dos Glúteos', também conhecida como 'síndrome da bunda morta". Muita gente acha que isso é uma piada por conta do nome e da região que atinge, mas não é bem assim. Pelo contrário, médicos estão muito preocupados com isso e explicam que a doença pode acometer uma ou as duas nádegas. O problema nada mais é que uma disfunção do músculo da região, que está fraco e, com isso, não funciona como o esperado.

Mas como descobrir se a mulher sofre com a síndrome do bumbum 'sem vida'?

Uma maneira de descobrir se a mulher tem ou não essa enfermidade é notar mudanças.

Publicidade
Publicidade

Uma comum é quando a região fica gelada. As causas estão ligadas, muitas vezes, à falta de postura, exercícios e até ao modo como a mulher fica sentada. Além disso, a cabeça feminina pode criar problemas de autoestima a partir do momento que a mulher olha para o espelho e sente uma insatisfação pessoal com o seu corpo. Comparar mulheres que ficam horas na academia com uma que não faz exercícios é um dos erros mais comuns.

Especialista fala sobre o drama do 'bumbum morto'

Em entrevista à CNN, Kristen Schuyten, fisioterapeuta da Michigan Medicine, deu mais detalhes sobre esse problema. Na conversa esclarecedora, ela disse que isso ocorre porque o tônus muscular não estava sendo ativado. Por isso, ele se estagnou. Outros músculos podem acabar tentando fazer a função dos músculos das nádegas, mas eles não são capazes de dar o volume que tanto homens e mulheres costumam gostar de verem nos corpos delas.

Publicidade

Falta de exercícios está relacionada à síndrome que mulheres não querem ter

Além da questão estética, a 'síndrome da #bunda morta' acaba se associando a outros problemas de saúde, como o de coluna. É muito comum mulheres que tem essa característica acumularem outros problemas, como dor no tórax, na cervical e também dores lombares. Há casos, inclusive, onde as vítimas dessa função também reclamam de dores nos tornozelos e nas pernas. Essa característica acaba associando mais mulheres que trabalham sentadas, pois elas, muitas vezes, não fazem exercícios físicos.

Especialistas recomendam que elas façam pelo menos três vezes exercícios por semana. 45 minutos de caminhada já é um bom começo, mas exercícios que envolvem musculação na área específica ajudam ainda mais. #Curiosidade