Atenção: contém imagens fortes.

As famosas histórias de #Terror sempre fizeram parte da imaginação do ser humano. O estranho prazer em sentir medo e a arte de infligi-lo obviamente não tardaram a conseguir seu espaço naquela que seria a manifestação artística mais influente nos dias de hoje: o cinema [VIDEO].

Em uma sala escura entre quatro paredes, assistir a um filme de terror tornou-se uma atividade totalmente dissociada de qualquer outro gênero que o #Cinema pode oferecer.

'O Exorcista'

Nesse segmento peculiar do cinema, um filme foi um grande divisor de águas. Trata-se de "O Exorcista", de 1973, que contava a triste história da possessão demoníaca de uma garotinha de 12 anos, Regan MacNeil, que demonstrava poderes sobrenaturais e grande força.

Publicidade
Publicidade

Depois de tentativas frustradas de tratá-la com a medicina convencional, o padre Merrin foi chamado para libertá-la em uma cerimônia de exorcismo. O filme teve grande repercussão na mídia e mesmo hoje após mais de 40 anos de lançamento continua como um dos maiores sucessos do cinema mundial.

'O Exorcismo de Emily Rose'

Trinta e dois anos depois, um novo filme do mesmo gênero apareceu nos cinemas também obtendo grande repercussão da mídia por se tratar de uma história real de possessão. "O Exorcismo de Emily Rose", lançado em 2005, retrata o sofrimento da jovem alemã Anneliese Michel, nascida em uma família radicalmente católica em Leiblfing, na Alemanha. Porém, a história real de Anneliese é ainda mais assustadora do que a que se pode observar no filme americano.

Anneliese Michel era uma jovem comum e tímida que frequentava a missa com sua família duas vezes por semana.

Publicidade

Em 1968, ainda com 16 anos, Anneliese começou a sofrer com convulsões e no ano seguinte teve o seu primeiro ataque epilético. Por se tratar de uma jovem saudável, alguns médicos começaram a ficar intrigados com o caso. Sofrendo com os ataques, Anneliese intensificou suas orações, mas toda vez que tentava rezar a garota ouvia, via e sentia a presença de figuras demoníacas. Dessa maneira a jovem desenvolveu uma profunda depressão e começou a pensar constantemente em suicídio.

A garota passou muitos anos nesse estado e, em 1975, seus pais começaram a procurar ajuda em igrejas, pois não acreditaram nos diagnósticos dos médicos que apontaram esquizofrenia. Uma senhora amiga da família levou pela primeira vez Anneliese a um exorcista, que confirmou a possessão da jovem. Após isso, a família decidiu suspender todo o tratamento médico de Anneliese e dar início a longas sessões de exorcismo.

Anneliese já cheirava mal e não conseguia comer quando o padre Arnold Renz e o pastor Ernst Alt começaram o trabalho.

Publicidade

Eram sessões que chegavam a durar quatro horas, duas vezes por semana. Porém, a garota continuou a piorar e rasgava suas roupas com certa frequência, além de comer aranhas e moscas e beber sua própria urina no chão.

Dentre os espíritos que possuíram a jovem, ela mesma chegou a citar nomes como Lúcifer, Caim, Nero, Judas, Hitler e outros grandes espíritos malignos que já assombraram a humanidade.

Abaixo, os áudios originais das sessões gravados pelos padres. Atenção: o áudio pode ser sensível para algumas pessoas.

Anneliese antes da suposta possessão

Após 11 meses e 67 sessões de exorcismo, o corpo da jovem Anneliese não resistiu. Ela tinha pneumonia, os ligamentos de seu joelho estavam rompidos e sua autópsia revelou que a causa de sua morte foi desnutrição e desidratação.

Anneliese Michel faleceu aos 23 anos, pesando apenas 30 quilos.

#Curiosidades